A influência dos fatores climáticos nos casos de dengue das 10 cidades mais populosas do Mato Grosso do Sul em 2009

Autores

  • Bruna dos Santos Silva Universidade Federal de Grande Dourados
  • Charlei Aparecido da Silva Universidade Federal de Grande Dourados

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2432

Palavras-chave:

Saúde e Dengue. Climatologia Geográfica. Mato Grosso Sul. Epidemia

Resumo

O objetivo desse trabalho constituiu-se em analisar a manifestação da dengue nas 10 maiores cidades do Mato Grosso Sul no ano de 2009, relacionando a quantidade de casos com a temperatura média e pluviosidade total. Confeccionaram gráficos e estabeleceu-se correlações estatísticas entre as variáveis. O ano de 2009 foi escolhido devido ao grande surto de casos que o estado notificou. Após a analise, observou-se resultados interessantes como o caso da cidade de Corumbá, que encontra-se na fronteira com a Bolívia e teve o maior número de casos notificados no ano, porém sua correlação com os dados pluviométricos foram considerados perfeitamente negativos.

Biografia do Autor

Bruna dos Santos Silva, Universidade Federal de Grande Dourados

Acadêmica do programa de pós-graduação em Geografia, Universidade Federal de Grande Dourados.

Charlei Aparecido da Silva, Universidade Federal de Grande Dourados

Docente do programa de pós-graduação em Geografia, Universidade Federal de Grande Dourados.

Referências

BESANCENOT, J-P. Climat et santé. Paris: PUF, 2001. (Medicine et santé)

CALADO, D. C.; NAVARRO-SILVA, M. A. Influência da temperatura sobre a longevidade, fecundidade e atividade hematofágica de Aedes (Stegomyia) albopictus Skuse, 1894 (Diptera, Culicidae) sob condições de laboratório. Rev. Bras. Entomol., v. 46, n.1, p. 93-98, 2002.

CONFALONIERI U, E. C. Variabilidade climática, vulnerabilidade social e saúde no Brasil. Terra Livre, São Paulo, v. I, n. 20, p193-204, jan/jul. 2003.

CONSOLI, R., OLIVEIRA, R. L. Principais mosquitos de importância sanitária no Brasil. FIOCRUZ, 1994. 228P

COSTA, M. A. R. A ocorrência do Aedes Aegypti na região Noroeste do Paraná: um estudo sobre a epidemia da dengue em Paranavaí - 1999, na perspectiva da geografia médica. Presidente Prudente (Dissertação de Mestrado em Geografia). FCT/UNESP, 2001.

DAJOZ, R. Ecologia geral. Petrópolis: Vozes, 1983. 472p.

JOHANSSON, M.A; CUMMINGS, D.A.T; GLASS, G.E. Multiyear Climate Variability and Dengue—El Niño Southern Oscillation, Weather, and Dengue Incidence in Puerto Rico, Mexico, and Thailand: A Longitudinal Data Analysis. PLoS Med 6(11): e1000168. doi:10.1371/journal.pmed.1000168, 2009.

MENDONÇA, F. A. Aquecimento global e saúde: uma perspectiva geográfica- notas introdutórias. Revista Terra Livre. São Paulo. Ano 19, v.1, n.20.2003, p. 205-221.

MEDONÇA, F. A.; PAULA, E. V.; OLIVEIRA, M. M.; JORGE, F.V.; PINTO, L. R; KRUGER, G. H. B. Clima e dengue: abordagem introdutória da evolução da dengue na região Sul do Brasil. In: VI Simpósio Brasileiro de Climatologia Geográfica, Aracaju/SE, 2004b. CD-ROM.

MONDINI A, CHIARAVALLOTI-Neto F. Análise espacial da transmissão de dengue em cidade de porte médio do interior paulista. Rev Saude Publica. 2007;39(3): 444-51.

ODUM, E. P. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.

OMS. Organização Mundial de Saúde. Dengue guidelines for diagnosis, treatment, prevention and control, new edition. Genebra: Organização Mundial de Saúde. 2009.

OPAS. Organização Pan-Americana de Saúde. Dengue and Dengue Haemorraghic Fever in the Americas: guidelines for prevention and control. Washington: Organização Pan-Americana de Saúde. 1997.

OPAS. Organização Pan-Americana de Saúde. Dengue time line. Disponível em: www.paho.org/English/AD/DPC/CD/dengue_timeline.xls+DENGUE+TIMELINE,+XLS. 2001a, Acesso em: 5 out 13.

PARRA, M. Regiões bioclimáticas do Estado do Mato Grosso do Sul, 2002. www.rc.unesp.br/igce/geografia/pos/download/2002/regioesbioclimaticas.pdf, acesso em 15 de abril de 2016.

SILVA, R. F.; NEVES, D. P. Os mosquitos (Diptera: Culicidae) do Campus Ecológico da UFMG, Belo Horizonte, Minas Gerais. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, v. 84, Supl. IV, p. 501-503, 1989.

SILVA, J. S. MARIANO, Z. De F. SCOPEL, I. A influencia do clima urbano na proliferação do mosquito Aedes Aegypti em Jataí(GO) na perspectiva da geografia médica. Hygeia-Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, Uberlândia, v. 5, n 2, p. 33-46, Dez. 2007.

SILVA, I. A. Distribuição das chuvas e ocorrência de casos confirmados de dengue em Uberlândia-MG. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CLIMATOLOGIA GEOGRÁFICA: Climatologia e Gestão do Território, 9, 2010. Fortaleza-CE. Anais...Fortaleza-CE: ABclima e UFCE, 2010, p. 1- 9. (CD-ROM).

SIMMONS, C. P.; FARRAR, J. J.; CHAU, N. V. V.; WILLS, B. Dengue. The New England Journal of Medicine, v. 366, n. 15, p. 1423-1432, april 12, 2012.

SOARES, N. K.; Diagnóstico das áreas de destinação dos resíduos sólidos urbanos na bacia hidrográfica do rio Ivinhema / MS, 2013, 154f., Dissertação (Mestrado em Geografia), Instituto de Geografia, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2013.

TORRES, E. M. Dengue y dengue hemorrágico. Buenos Aires/Argentina: Editora. Nacional da Universidade de Quilmes, 1998, p. 24-58.

ZAVATTINI, JA. As chuvas e as massas de ar no estado de Mato Grosso do Sul: estudo geográfico com vista à regionalização climática [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. 212 p. ISBN 978-85-7983-002-0. Available from SciELO Books .

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Climatologia em diferentes níveis escalares: mudanças e variabilidades