Análise macromorfológica da cobertura pedológica e perfil da topossequência realizada em um segmento da vertente da FEI/UEM

Autores

  • Felipe Gomes Rubira Departamento de Geografia/Instituto de Geociências, UNICAMP
  • Archimedes Perez Filho Departamento de Geografia/Instituto de Geociências, UNICAMP
  • Georgea do Vale de Melo Departamento de Geografia/Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, UEM

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2480

Palavras-chave:

Análise macromorfológica. Topossequência pedológica. Morfologia da vertente

Resumo

Esta pesquisa objetivou realizar a caracterização macromorfológica da cobertura pedológica de uma topossequência na FEI/UEM. A metodologia utilizada se baseou no manual de descrição e coleta de solo no campo da EMBRAPA (2005). Concluiu-se por meio dos resultados que a vertente em questão representa um sistema pedológico em transformação, possivelmente associado às ações dos fluxos hídricos verticais predominantes na organização da cobertura pedológica na alta e média vertente e dos fluxos laterais mais atuantes na média baixa e baixa vertente. Observou-se a transformação do horizonte latossólico em argílico, iniciando-se na base da vertente e avançando para o topo da mesma, originando o início de ligeira concavidade, elaborando degraus arenosos, principalmente relativos ao horizonte A e E do Argissolo. Estas ondulações nos horizontes possivelmente estão associadas às atividades geoquímicas e a uma provável alteração no nível de base local do ribeirão Centenário, capaz de acelerar os fluxos internos das soluções na vertente.

Biografia do Autor

Felipe Gomes Rubira, Departamento de Geografia/Instituto de Geociências, UNICAMP

Departamento de Geografia/Instituto de Geociências, UNICAMP

Archimedes Perez Filho, Departamento de Geografia/Instituto de Geociências, UNICAMP

Departamento de Geografia/Instituto de Geociências, UNICAMP

Georgea do Vale de Melo, Departamento de Geografia/Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, UEM

Departamento de Geografia/Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, UEM

Referências

BIGARELLA, J. J.; MAZUCHOWSKI, J. Z. Visão Integrada da problemática da erosão. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE CONTROLE DA EROSÃO, 3, 1985, Maringá. Livro Guia, Curitiba, Associação Brasileira de Geologia de Engenharia, 1985. 329p.

BOULET, R.; CHAUVEL, A.; HUMBEL, F. X.; LUCAS, Y. Analyse structurale et pédologie. I Prise em compte de l’organization bidimensionnelle de la couverture pédológique: lês études de toposéquences et leurs principaux apports à la connaissance dês sols. Cahiers O.R.S.T.O.M., sér. Pédolologie, v. 19, n. 4, p. 309-322, 1982.

CASTRO, S. S. Sistemas de transformação pedológica em Marília: B latossólicos e B texturais. 1990. 274f. Tese (Doutorado em Geografia Física) - FF C H, USP, São Paulo.

DIAS FERREIRA, R. P. Solos e morfogênese em São Pedro, SP. 1997. 157. Tese (Doutorado em Geografia Física) - Dep. Geografia, FFLCH, USP, São Paulo.

EMBRAPA. Manual de descrição e coleta de solo no campo. 5ª ed. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência de Solo, 2005.

ESPINDOLA, C. R. A pedologia e a evolução das paisagens. Revista do Instituto Geológico, São Paulo, v.31, n.1/2, p.67-92, 2010.

FERNANDES BARROS, O. N. Análise estrutural e cartografia detalhada de solos em Marília/SP: ensaio metodológico. 1985. 146f. Dissertação (Mestrado em Geografia Física) - Dep. Geografia, FFLCH, USP, São Paulo

GASPARETTO, N. L; SOUZA, M. L. Contexto geológico-geotécnico da Formação Caiuá no Terceiro Planalto Paranaense - PR. 1ª ed. Maringá: ENGEOPAR, 2003.

JENNY, H. Factors of soil formation. New York: MaGraw-Hill Book Inc., 1941.

LUCAS, Y.; CHAUVEL, A.; BOULET, R.; RANZANI, G.; SCATOLINI, F. Transição latossolos - podzois sobre Formação Barreiras na região de Manaus. Rev. Bras. Ci. Solo, v. 8, p. 325- 335, 1984.

MILNE, G. Some suggested units of classification and mapping particularly for East Africain soils. Soil Research, v. n.3, p. 183-198, 1935.

MUNSELL, A. H. A color notation. 14ª ed. Baltimore: Macbeth, A division of Kollmorgen Coporation, 1981.

QUEIROZ NETO, J. P. Relações entre as vertentes e os solos: revisão de conceitos. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 12, n.3, p. 15-24, 2011.

TRICART, J. As relações entre a morfogênese e a pedogênese. Notícia Geomorfológica, v.8, n. 15, p. 5-18, 1968.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Sistemas Geomorfológicos: Estrutura, Dinâmicas e Processos