O Graben Quaternário do baixo vale do Ribeirão Cotovelo: notas preliminares

Autores

  • Mário Teixeira Rodrigues Bragança Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2495

Palavras-chave:

Tectônica Quaternária. Graben do Ribeirão Cotovelo. Meandros abandonados

Resumo

O baixo vale do Ribeirão Cotovelo é descrito como uma bacia de sedimentação Quaternária, controlada por falhas normais ativas. Esse processo de sedimentação foi intensificado durante o Pleistoceno e o Holoceno, o que é demonstrado pelo acentuada incisão recente dos canais de drenagem, hipótese confirmada pela datação de alúvios pelo método de luminescência oticamente estimulada. Dados estruturais indicam que as falhas ativas possuem direções predominantes SW-NE e SSW-NNE. A morfologia resultante dessa atividade é um graben orientado na mesma direção das falhas e com caimento para sudeste, o que é demonstrado pela migração do leito do Ribeirão Cotovelo neste rumo, abandonando para trás diversos meandros, convertidos em oxbow lakes.

Biografia do Autor

Mário Teixeira Rodrigues Bragança, Universidade de São Paulo

Programa de Pós-Graduação em Geografia Física. FFLCH/USP. Professor de Geografia, Prefeitura Municipal de Betim/MG.

Referências

AB’SABER, A.N. Um conceito de geomorfologia a serviço das pesquisas sobre o Quaternário. In: Geomorfologia, n. 18, Instituto de Geografia, Universidade de São Paulo, 1969. 23p.

ALMEIDA, F.F.M.; CARNEIRO, C.D.R.; MIZUSAKI, A.M.P. Correlação do magmatismo das bacias da margem continental brasileira com o das áreas emersas adjacentes. São Paulo. Revista Brasileira de Geociências, v. 26, n.3, p. 125-138, 1996.

CAMPOS, J.E.G.; DARDENNE, M.A. Origem e evolução tectônica da Bacia Sanfranciscana. São Paulo. Revista Brasileira de Geociências, v. 27, n. 3, p. 283-294, 1997.

CETEC. FUNDAÇÃO CENTRO TECNOLÓGICO DE MINAS GERAIS. 2º Plano de Desenvolvimento Integrado do Noroeste Mineiro: Recursos Naturais. Belo Horizonte, 1981. 2v. (Série de Publicações Técnicas, 2); Contém 16 mapas.

FRUTOS, J. Evolución de las trayectorias de esfuerzo en la tectónica de los Andes Meridionales. In: Congresso Geológico Chileno, 5, 1988, Santiago, Anais... Santiago, Universidad de Chile, Tomo I, p. 261-281, 1988.

HASUI, Y. Neotectônica e aspectos fundamentais da tectônica ressurgente no Brasil. Workshop sobre Neotectônica e Sedimentação Continental Cenozóica no Sudeste do Brasil. Belo Horizonte. Boletim da Sociedade Brasileira de Geologia. Núcleo Minas Gerais, n. 11, junho, 1990. p. 1-31.

HASUI, Y.; HARALYI, N.L.E. Aspectos lito-estruturais e geofísicos do Soerguimento do Alto Paranaíba. São Paulo. Geociências, v. 10, p. 57-77, 1991.

RHODES, E.J. Optically stimulated luminescence dating of sediments over the past 200.000 years. Annual Review of Earth and Planetary Science, v. 29, p. 461-488, 2011.

SAADI, A. Ensaio sobre a Morfotectônica de Minas Gerais. 1991, 285f. Tese (Professor Titular). Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 1991.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Sistemas Geomorfológicos: Estrutura, Dinâmicas e Processos