Evolução das voçorocas da Travessa Bonfim e do Liceu no Crato-CE – um estudo de antropogeomorfologia urbana

Autores

  • Cleyton Lucas Gonçalves Rodrigues Universidade Regional do Cariri
  • Maria Tayane Bonfim Lima Universidade Regional do Cariri
  • Simone Cardoso Ribeiro Universidade Regional do Cariri

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2499

Palavras-chave:

Processos geomorfológicos. Erosão. Urbanização. Antropogeomorfologia

Resumo

Os processos naturais são comumente intensificados diante da presença de atividades humanas, sendo bastante significativa as mudanças geradas pelo processo de urbanização, crescimento e inchaço das cidades, que demanda mais áreas naturais para construção de residências, ruas e outros estabelecimentos. As mudanças geomorfológicas decorrentes da urbanização são bastante significativas e por vezes preocupantes, já que processos como erosão (perda de solo) e movimento gravitacional de massa geram prejuizos tanto ambientais quanto socioeconomicos, e em casos extremos pode levar a perda de vidas humanas. Os estudos dos impactos humanos sobre os processos geomorfológicos pode constituirimportante instrumento de gestão territorial, de uso e ocupação dos solos. A antropogeomorfologia, ramo da ciência geomorfológica, busca compreender de que maneira as sociedades humanas, com destaque àquelas situadas em áreas urbanas, interfere nas formas e processos geomorfologicos e na construção de novas morfologias, a morfologia antropogênica.

Biografia do Autor

Cleyton Lucas Gonçalves Rodrigues, Universidade Regional do Cariri

Departamento de Geociências/Universidade Regional do Cariri.

Maria Tayane Bonfim Lima, Universidade Regional do Cariri

Departamento de Geociências/Universidade Regional do Cariri.

Simone Cardoso Ribeiro, Universidade Regional do Cariri

Orientadora. Departamento de Geociências/Universidade Regional do Cariri.

Referências

GUERRA, A. J. T.. Encostas Urbanas. In: GUERRA,A. J. T.(Org.). Geomorfologia Urbana. 1ed.Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011, v. 1, p. 13-42.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE – Contagem Populacional. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=230420&search=ceara|crato. Acesso em mar. 2017.

RIBEIRO, S, C. Susceptibilidade aos processos erosivos superficiais com base na dinâmica geomorfológica na microbacia do rio Grangeiro, Crato/CE. Rio de Janeiro: UFRJ/PPGG, 2004. 148P. (Dissertação de Mestrado)

RIBEIRO, S. C. Evolução das feições erosivas e de movimentos gravitacionais de massa e sua relação com o uso do solo no núcleo urbano e periurbano do Crato/Ceará – um estudo de Antropogeomorfologia urbana.Crato: Universidade Regional do Cariri – URCA, 2016.(Projeto de Iniciação Científica)

RODRIGUES, C.Morfologia Original e Morfologia Antropogênica na definição de unidades espaciais de planejamento urbano: um exemplo na metrópole paulista. Revista do Departamento de Geografia (USP), v. 17, p. 101-111, 2005.

SANTOS FILHO, R. D. dos. Antropogeomorfologia Urbana. In: GUERRA, A. J. T.(Org). Geomorfologia Urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011, p. 227-242.

SOARES, R. C.; RIBEIRO, S.C. Cadastro e caracterização das feições erosivas e movimentos gravitacionais de massa nas áreas urbanas e periurbanas do Crajubar (Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha) sul cearense.Crato: Universidade Regional de Cariri - URCA, 2007. (Projeto de Iniciação Científica)

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Sistemas Geomorfológicos: Estrutura, Dinâmicas e Processos