Monitoramento de erosão hídrica em ambiente de Cerrado, Uberlândia - MG

Autores

  • Anna Carolina Barcelos Universidade Federal de Uberlândia
  • Vinícius de Oliveira Maruschi Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2502

Palavras-chave:

Cerrado. Erosão. Parcelas experimentais

Resumo

As áreas de cerrado sofreram muito com os processos de ocupação que ocorreram de forma desenfreada desde a vinda dos primeiros colonizadores em busca dos seus recursos naturais, alguns estudos indicam que até o ano de 2002 o cerrado havia perdido consideravelmente sua área original, sendo modificado cada vez mais pela ação dos processos erosivos. O trabalho em questão foi desenvolvido na Fazenda Experimental do Glória, esta se encontra no município de Uberlândia – MG, e tem como objetivo avaliar o comportamento da erosão sobre duas parcelas experimentais em ambiente de cerrado. Para isso foi levado em consideração à coleta semanal de amostras de cada parcela obtendo dados de precipitação, escoamento superficial e produção de sedimento. O monitoramento foi realizado em duas etapas, apresentando resultados distintos, devido ao crescimento da vegetação nas parcelas, contribuindo para a diminuição da perda de solo e do escoamento superficial.

Biografia do Autor

Anna Carolina Barcelos, Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Geografia/Universidade Federal de Uberlândia.

Vinícius de Oliveira Maruschi, Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Geografia/Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

AB’SABER, A. N. Os domínios da natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003. 159 p.

ALVES, R. A. Monitoramento dos Processos Erosivos e da Dinâmica Hidrológica e de Sedimento de uma Voçoroca: estudo de caso na Fazenda do Glória na zona rural de Uberlândia- MG. 2007. 104 f. Dissertação (Mestrado em Geografia), Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007.

BACCARO, C.A.D. Processos Erosivos no Domínio do Cerrado. In: GUERRA, A.J.T; SILVA, A.S; BOTELHO, R.G.M. (Orgs.). Erosão e Conservação dos Solos: Conceitos, Temas e Aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007. p. 195-223.

BARCELOS, A.C.; QUEIROZ, J.S. Mensuração da perda de solo por erosão hídrica em ambiente de cerrado. In: XI Simpósio Nacional de Geomorfologia – SINAGEO, 11., 2016, Maringá, Anais eletrônicos... Maringá, 2016. Disponível em: <http://www.sinageo.org.br/2016/trabalhos/2/2-291-1565.html> Acesso em: 21 Fev. 2016.

BARRELLA, W. et al. As relações entre as matas ciliares os rios e os peixes. In: RODRIGUES, R.R.; LEITÃO FILHO; H.F. (Ed.). Matas ciliares: conservação e recuperação. 2.ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001.

BELTRAME, A. DA V. Diagnóstico do meio físico de bacias hidrográficas: modelo e aplicação. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1994. 112 p.

BEZERRA, J. F. R. Avaliação de geotexteis no controle da erosão superficial a partir de uma estação experimental, Fazenda do Glória – MG. 2006. 118 f. Dissertação (Mestrado em Geografia e Gestão do Território) Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2006.

BIGARELLA, J. J. et al. Estrutura e origem das paisagens tropicais e subtropicais. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2003. v.3. p. 877-1436.

DECHEN, S. C. F. et al. Manejo de solos tropicais no Brasil. Reunião brasileira de manejo e conservação do solo e da água: manejo integrado a ciência do solo na produção de alimentos, 15. Santa Maria - RS. UFSM, 2004. p.1-25.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Práticas de conservação do solo e recuperação de áreas degradadas. Rio de Janeiro: Centro Nacional de Pesquisa dos Solos, 2003. 1 ed., 30p.

GUERRA, A.J.T. O início do processo erosivo. In: Guerra, A.J.T.; Silva, A.S. & Botelho, R.G.M. (Org). Erosão e Conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. 1. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999. p. 1-50.

GUERRA, A. J.T. & CUNHA, S.B. Geomorfologia e meio ambiente. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1966. 393 p.

GUERRA, A. J. T; CUNHA, S. B. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. 12ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013. 472 p.

GUERRA, A. T. & GUERRA, A. J. T. Novo Dicionário Geológico-Geomorfológico. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 1997, 648p.

GUERRA, A. J.T.; JORGE, M. do C. O. Geomorfologia do Cotidiano: A Degradação dos Solos. Revista GEONORTE, Edição Especial, V.4, N.4, p.116-135, 2012. Disponível em: <http://www.revistageonorte.ufam.edu.br/ >. Acesso em: 14 Janeiro 2016.

KLINK, C. A.; MACHADO, R. B. (2005) A conservação do Cerrado brasileiro. Megadiversidade, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, jul. 2005, p. 148-155.

LEPSCH, I. F. Solos: formação e conservação. 4ª ed. São Paulo: Editora Melhoramentos, 1976. 158 p.

MACHADO, R.B.; RAMOS NETO, M.B.; PEREIRA, P.G.P.; CALDAS, E.F.; GONÇALVES, D.A.; SANTOS, N.S.; TABOR, K; STEININGER, M. (2004). Estimativas de perda da área do Cerrado brasileiro. Conservation Internacional, Brasília, 23 p.

MAFRA, N. M. C. Erosão e planificação de uso do solo. In: Guerra, A.J.T.; Silva, A.S. & Botelho, R.G.M. (Org). Erosão e Conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. 7. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012. p. 301-320.

SANO, E. E. ; FERREIRA, L. G. (2005) Monitoramento semidetalhado (escala 1:250.000) de ocupação de solos do cerrado: considerações e proposta metodológica. In: XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Anais... Goiânia, INPE, 16-21 abril 2005, p. 3309-3316.

SHIKI, S. (1997). Sistema agroalimentar no Cerrado brasileiro: caminhando para o caos? In: SILVA, J. G.; SHIKI, S.; ORTEGA, A. C. (orgs) Agricultura, meio ambiente e sustentabilidade do Cerrado brasileiro. Uberlândia, UFU, 372 p.

THORNES, J.B. (1980). Erosional processes of running water and their spatial and temporal controls: a theoretical viewpoint. In Soil erosion. Editores: M.J.Kirkby e R.P.C. Morgan, 129-182 p.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Sistemas Geomorfológicos: Estrutura, Dinâmicas e Processos