Movimentos gravitacionais de massa na bacia hidrográfica do Bacanga: o caso dos bairros Vila Embratel e Salinas do Sacavém – São Luís/MA

Autores

  • Danyella Vale Barros França Universidade Estadual do Maranhão
  • Marly Silva de Morais Universidade Estadual do Maranhão
  • Quésia Duarte da Silva Universidade Estadual do Maranhão
  • José Fernando Rodrigues Bezerra Universidade Estadual do Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2531

Palavras-chave:

Movimentos gravitacionais de massa. Bacia hidrográfica do Bacanga. Salinas do Sacavém. Vila Embratel

Resumo

Os movimentos gravitacionais de massa são fenômenos naturais que fazem parte da evolução geomorfológica das encostas e da paisagem. Nas áreas urbanas, estes eventos são potencializados, causando perdas materiais e humanas para a sociedade. Partindo deste pressuposto, objetivou-se neste trabalho diagnosticar as áreas com ocorrência dos fenômenos supracitados na bacia do rio Bacanga, São Luís-MA, através de trabalhos de campo. Para o alcance destes objetivos realizou-se um levantamento bibliográfico, trabalhos de campo e mapearam-se as áreas com ocorrência de movimentos de massa na área em questão. Três áreas foram diagnosticadas com os fenômenos supracitados, sendo uma no bairro Salinas do Sacavém e duas na Vila Embratel. Conclui-se que existem áreas com ocorrência de movimentos gravitacionais de massa na área urbana da bacia em questão e que são aproximadamente 210 pessoas afetadas. Acredita-se que este e outros trabalhos poderão ser utilizados para minimizar estes problemas na área urbana de São Luís.

Biografia do Autor

Danyella Vale Barros França, Universidade Estadual do Maranhão

Graduada em Geografia Licenciatura e Bacharelado/ BolsistaTécnica Nível II/Universidade Estadual do Maranhão.

Marly Silva de Morais, Universidade Estadual do Maranhão

Mestranda em Geografia, Dinâmica da Natureza e do Espaço/Universidade Estadual do Maranhão.

Quésia Duarte da Silva, Universidade Estadual do Maranhão

Professora do Departamento de História e Geografia/Universidade Estadual do Maranhão.

José Fernando Rodrigues Bezerra, Universidade Estadual do Maranhão

Professor do Departamento de História e Geografia/Universidade Estadual do Maranhão.

Referências

ARAÚJO, G. H. S.; ALMEIDA, J. R.; GUERRA, A. J. T. Gestão Ambiental de Áreas Degradadas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

BEZERRA, J. F. R. Geomorfologia e reabilitação de áreas degradadas por erosão com técnicas de bioengenharia de solos na bacia do rio Bacanga, São Luís, Maranhão. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro - Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2011.

CPRM (2012). Relatório de visitas técnicas. São Luís: CPRM, 2012.

CPRM. Relatório de visitas técnicas. Áreas de risco no Eixo Itaqui Bacanga – CROQUIS. São Luís: CPRM, 2011.

EMBRAPA. Grupo Barreiras: Características, Gênese e Evidências de Neotectonismo. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento. Rio de Janeiro: EMBRAPA, 2011.

FERNANDES, N. F.; AMARAL, C. P. Movimentos de massa: uma abordagem geológico-geomorfológica. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. C.(Org.) Geomorfologia e Meio ambiente. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003, p. 123-194.

GUERRA, A. J. T. Degradação do solos – conceitos e temas. In: GUERRA, A. J. T. JORGE, M. C. O. (Orgs.) Degradação dos solos no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014, p. 15-47.

GUERRA, A. J. T. Encostas e a questão ambiental. In: CUNHA, S. B. GUERRA, A. J, T. (Orgs.) A Questão ambiental – diferentes abordagens. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008, p. 191-218.

GUERRA, A. J. T. Encostas urbanas. In: GUERRA, A. J. T. (Org.) Geomorfologia urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011, p. 13-42.

GUIMARÃES, R. F. et.al.Movimentos de massa.In:FLORENZANO, T. G. (Org.) Geomorfologia: conceitos e técnicas atuais. São Paulo: Oficina de Textos, 2008, p. 159-184.

HOFFMANN, T. C. P.; MENDONÇA, P.; GOUDARD, G. Eventos climáticos extremos: inundação e gestão de riscos no Paraná. In: MENDONÇA, F. (Org.) Riscos climáticos: vulnerabilidades e resiliência associados. Jundiaí: Paco editorial, 2014, p. 223 – 260.

MARANDOLA JR, E; HOGAN, D. J. Natural hazards: o estudo geográfico dos riscos e perigos. Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 95-109, 2004.

MORAIS, M. S. Análise da fragilidade ambiental na bacia hidrográfica do rio Bacanga, município de São Luís – MA. Relatório de Iniciação Científica. (Pesquisa em Geografia). São Luís, 2014, p.66.

PEREIRA, E. D. Avaliação da vulnerabilidade natural à contaminação do solo e do aqüífero do reservatório Batatã – São Luís (MA). Tese (Doutorado) Rio Claro: UNESP. 2006.

PRESS, F. SIEVER, R. GROTZINGER, J. JORDAN, T. H. Para entender a terra. São Paulo: Artmed, editora S. A, 2006.

SILVA, Q. D. Mapeamento geomorfológico da Ilha do Maranhão/ Tese de Doutorado. Presidente Prudente- Universidade Estadual de São Paulo, 2012.

SOUSA, C. S.; KLEIM, E. L.; LOPES, E. C. S.; TEIXEIRA, S. G.; OLIVEIRA, J. K. M.; MOURA, E. M.; LEÃO, M.H.B. 2012. Mapa Geológico e Recursos Naturais do Estado do Maranhão. In: KLEIN, E.L. & SOUSA, C. S. (Orgs.) Geologia e Recursos Naturais do Estado do Maranhão: Sistema de Informações Geográficas - SIG, Escala 1:750.000. Belém: CPRM, 2012.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física e Desastres Naturais