Impactos ambientais urbanos: o exemplo do bairro da Vila Canária – Salvador-BA

Autores

  • Cleidson Gomes Oliveira Universidade Católica do Salvador
  • Dante Severo Giudice Universidade Católica do Salvador

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2533

Palavras-chave:

Expansão urbana. Ocupação espontânea. Impactos ambientais

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar as implicações de crescimento desordenado em áreas periféricas de Salvador mais especificamente no bairro de Vila Canária. No decorrer da pesquisa foi observado que a população se aglomera em áreas de risco, construindo suas habitações de forma desordenada em áreas de encosta, acentuando a possibilidade de deslizamento. O descarte do lixo e a falta de esgotamento sanitário também são fatores condicionantes que contribuem para o agravamento dos impactos ambientais na área. A pesquisa realizada no bairro em questão, traz informações relevantes sobre a situação atual, dando suporte aos órgãos competentes para tomada de medidas específicas a fim de minimizar os impactos ambientais na área, assim propiciando melhores condições de qualidade de vida para a população.

Biografia do Autor

Cleidson Gomes Oliveira, Universidade Católica do Salvador

Universidade Católica do Salvador-UCSal/ Geógrafo Pós-Graduando em Gestão e Auditoria Ambiental pela Escola de Engenharia Eletro-Mecânica da Bahia-EEEMBA. 

Dante Severo Giudice, Universidade Católica do Salvador

Universidade Católica do Salvador-UCSal/Prof. Dr. do IFCH/UCSal.

Dr. em Geografia pela UFS/Geólogo Senior da CBPM.

Referências

BRASIL, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Censos demográficos 1970, 1980, 1991, 2000, 2010.

CARLOS, Ana Fani Alessandri; LEMOS Amélia Inês Geraïges. Dilemas Urbanos: Novas Abordagens sobre a Cidade. 2ª ed. São Paulo: Contexto, 2005.

CONDER, Informes, Sedir, 2012. Características Demográficas dos Bairros do Município de Salvador-BA. IBGE, 2010.

COODENADORIA DE DEFESA CIVIL DE SALVADOR – CODESAL. Setor de Estudos e Projetos.

CORRÊA, Roberto Lobato. O Espaço Urbano. Editora Ática S.A. São Paulo, 1989.

CRUZ, Fernanda; ARIZE, Juliana. Salvador e seu Processo de Urbanização, 1970. Disponível em: < http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1970488 > acesso em: 12/03/2013.

GIUDICE, Dante Severo. Impactos Ambientais em área de ocupação espontânea: (exemplo do bairro do Calabar, Salvador-BA). Salvador, 1999. Dissertação de Mestrado.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010: População do Brasil é de 190.732.694 pessoas. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1766 > acesso em 15/02/2013.

OGATA, M. G. Os resíduos sólidos na organização do espaço e na qualidade do ambiente urbano: uma contribuição geográfica ao estudo do problema na cidade de São Paulo. Rio de Janeiro: IBGE, 1983.

SALVADOR. Plano Diretor de Encostas do Município de Salvador. Relatório Síntese. PDE, 2004.

SILVA, S. B. de M.e. Processo de Crescimento Espacial de Salvador. In: Silva, S. B. de M.e.; Silva, B. C. N. Cidade e Região no Estado da Bahia. Salvador: Centro Editorial e Didático da UFBA, 1991.

SOUZA, Maria Adélia A; SANTOS, Milton. A construção do espaço. São Paulo: Nobel, 1986.

SPÓSITO, Maria Encarnação Beltrão. Capitalismo e Urbanização. São Paulo: Contexto, 2004.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física e Desastres Naturais