Estimativa preliminar de zonas saturação do relevo: uma comparação entre diferentes métodos

Autores

  • Jéssica Gerente Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
  • Edna Lindaura Luiz Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Roberto Arnaldo Trancoso Gomes Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2537

Palavras-chave:

Zonas saturadas. Acumulação de fluxo. Movimentos de massa

Resumo

Zonas saturadas no relevo podem condicionar movimentos de massa. A topografia influencia na convergência ou divergência de fluxos. A partir de MDEs é possível extrair informações sobre o potencial de uma área para ocorrência de processos erosivos. Modelos matemáticos permitem criar diferentes cenários, onde as condições ambientais podem ser calibradas. Neste trabalho, o modelo TOPOG foi utilizado para estimar as zonas que possuem condições de saturação na bacia do rio Luís Alves/SC. Foram testados três métodos de acumulação de fluxo para entrada no modelo, considerando precipitação de 250mm/dia. Devido ao tamanho da bacia, heterogeneidade e profundidade do solo, foram testados três diferentes valores de transmissividade. Sobrepondo os resultados com um inventário de cicatriz de movimentos de massa, percebe-se que considerável parte deles ocorreu em áreas classificadas como suscetíveis a saturação. Os métodos D-infinito e MDF foram os mais adequados para a estimação preliminar das zonas saturadas na área de estudo.

Biografia do Autor

Jéssica Gerente, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Divisão de Sensoriamento Remoto/Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Edna Lindaura Luiz, Universidade do Estado de Santa Catarina

Departamento de Geografia/Centro de Ciências Humanas e da Educação, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Roberto Arnaldo Trancoso Gomes, Universidade de Brasília

Departamento de Geografia/Instituto de Ciências Humanas, Universidade de Brasília (UnB).

Referências

ALI, G., BIRKEL, C., TETZLAFF, D., SOULSBY, C., MCDONNELL, J. J. AND TAROLLI, P. 2014, A comparison of wetness indices for the prediction of observed connected saturated areas under contrasting conditions. Earth Surface Process and Landforms, no. 39, p.399 - 413.

BEVEN, K. K. e KIRKBY, M.J. 1979, A physically based, variable contribuing area model of basin hydrology,Hydrology Sciences – Bulletin des Sciencies Hydrologiques, v.24, p. 43-69.

DAMACENA, F. A.; GUIMARÃES, R. F.; CATÃO, R. de C.; GOMES, R. A. T. et al. 2009, Identificação de zonas de saturação na paisagem a partir de dados de transmissividade obtidos em campo na bacia hidrográfica do rio Jardim (DF). Revista Espaço e Geografia. Vol. 12, no. 1., p. 105- 123.

ERSKINE, R. H.;GREEN, T. R.;RAMIREZ, J. A.;MACDONALD, L. H.2006, Comparison of grid-based algorithms for computing upslope contributing area.Water Resourses Research. no42.

FORNARI, A. Geologia e metalogênese da porção meridional do Cráton Luís Alves/SC. 1998. 136p. Tese (Doutorado em Geociências). Programa de Pós-Graduação em Geociências da Universidade de Campinas. São Paulo.

FREITAS, L. F. Análise da Influência das Alterações da Rede de Drenagem Devida a Urbanização no Desenvolvimento de Voçorocas em Quatro Regiões do Distrito Federal. 2012. 108 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, 2012.

GOMES R.A.T., GUIMARÃES R.F., CARVALHO JÚNIOR O.A., FERNANDES N.F. 2004, Análise da influência da escala cartográfica no resultado de um modelo de previsão de áreas críticas a deslizamentos,Ciência e Natura, v.1, p. 269-286.

GRUBER, S., AND PECKHAM, S. 2009, Land-surface parameters and objects in hydrology. In:Hengl, T., and Reuter, H.I. (Eds.): Geomorphometry: Concepts, Software, Applications.p. 171-194. Elsevier, Amsterdam.

LUIZ, E. L. 2003, Influência da dinâmica hidrológica e das características das formações superficiais nos mecanismos de ruptura das encostas com rochas granitoides de áreas subtropicais- São Pedro de Alcântara, Tese (doutorado em Geografia), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,238p.

LUIZ, E. L.; GERENTE, J; GASPER, B. De; BINI, G. M. P. Discussão dos condicionantes e mecanismos de um deslizamento no município de Luís Alves, Santa Catarina. In: X Simpósio Nacional de Geomorfologia, 2014, Manaus. Anais.

MARTZ, L. W., GARBRECHT, J. 1992. Numerical definition of drainage network and subcatchment areas from digital elevation models. Computers and Geosciences, 18(6), 747-761.

MONTGOMERY D. R., DIETRICH W. E. 1994, A physically based model for the topographic control on shallow landslide,Water Resources Research,n. 30, p. 1153 –1171.

O’CALLAGHAN, J.F.; MARK, D.M. 1984, The extraction of drainage networks from digital elevation data. Computer vision, graphics, and image processing, n. 28, p 323-344.

O’LOUGHLIN, E. M. 1986, Prediction of surface saturation zones in natural catchments by topographic analysis,Water Resources Research, Washington, v. 22, p. 794-804.

QUINN, P., BEVEN,K., CHEVALLIER,P., PLANCHON, O.1991,The prediction of hillslope flow paths for distributed hydrological modeling using digital terrain models, Hydrol. Processes, no 5, p. 59-79.

RAMOS, V. M., GUIMARÃES, R. F., REDIVO, A. L.; CARVALHO JÚNIOR, O. A. de, FERNANDES, N. F; GOMES, R. A. T. 2003, Avaliação de metodologias de determinação do cálculo de áreas de contribuição. Revista Brasileira de Geomorfologia, 4 (2),p.41-49.

SANTI, C. B. 2004, Processo de Uso e Ocupação do Solo e modelagem de previsão de zonas saturadas no relevo: Subsídio para o estudo de enchentes (Maciço Madureira, Nova Iguaçu, RJ). Dissertação (Mestrado em Geografia),Universidade Federal do Rio de Janeiro,Rio de Janeiro,96p.

TARBOTON, D. G. 1997, A new method for the determination of flow directions and upslope areas in grid digital elevation models,Water Resources Research, no 33, p. 309-319.

TEIXEIRA, M. A. C.2012, Avaliação da suscetibilidade à ocorrência de deslizamentos translacionais superficiais: Utilização de modelos matemáticos de base física na Bacia de Tibo, Arcos de Valdevez. Dissertação de Mestrado, Universidade do Porto.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física e Desastres Naturais