Risco e vulnerabilidade social a desastres naturais no Brasil: proposta de um arcabouço para indicadores multiescalares

Autores

  • Gustavo Henrique Naves Givisiez Universidade Federal Fluminense
  • Elzira Lúcia de Oliveira Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2564

Palavras-chave:

Desastres naturais. Indicadores. Vulnerabilidade socioambiental

Resumo

Todos os anos, os desastres naturais resultam numerosos mortos e feridos e em expressivas perdas econômicas. O cenário de mudanças climáticas que se apresenta ao mundo é ainda um fator agravante para os eventos climáticos que podem apresentar características mais virulentas e destrutivas ao longo deste e dos próximos séculos. As consequências dos desastres naturais são ainda sentidas de forma desigual entre as pessoas: a população menos favorecida, crianças e idosos são frequentemente os mais afetados pelos desastres naturais em todo o planeta. A proposta deste artigo é apresentar uma revisão sobre um conjunto de métodos e técnicas de mensuração da vulnerabilidade a desastres naturais, e propor um arcabouço preliminar que servirá de base para a construção de um indicador de Risco a Desastres Naturais, que seja aplicável (ou ajustável) a múltiplas escalas e coerente com as bases de dados disponíveis e com os desastres mais comuns no Brasil.

Biografia do Autor

Gustavo Henrique Naves Givisiez, Universidade Federal Fluminense

Professor do Departamento de Geografia de Campos, UFF.

Elzira Lúcia de Oliveira, Universidade Federal Fluminense

Professora do Departamento de Geografia de Campos, UFF.

Referências

ALMEIDA, L. Q. de. Vulnerabilidade socioambiental de rios urbanos: bacia hidrográfica do Rio Maranguapinho região metropolitana de Fortaleza-Ceará. Tese de doutorado. Rio Claro, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. 2010.

ALMEIDA, Lutiane Queiroz de. Vulnerabilidades socioambientais de rios urbanos: bacia hidrográfica do rio Maranguapinho. Região metropolitana de Fortaleza, Ceará. 2010. 278 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, 2010. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/104309>.

ALVES, H. P. et al. Dinâmicas de urbanização na hiperperiferia da metrópole de São Paulo: análise dos processos de expansão urbana e das situações de vulnerabilidade socioambiental em escala intraurbana. Revista Brasileira de Estudos Populacionais. Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, pp. 141-159. 2010

ALVES, H. P. Vulnerabilidade sócio-ambiental na metrópole paulistana: uma análise das situações de sobreposição espacial de problemas e riscos sociais e ambientais. In: Anais. XI Encontro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (ANPUR), Salvador-BA. Salvador: ANPUR. 2005.

ALVES, Humberto Prates da Fonseca. Análise da vulnerabilidade socioambiental em Cubatão-SP por meio da integração de dados sociodemográficos e ambientais em escala intraurbana. Rev. bras. estud. popul., São Paulo , v. 30, n. 2, p. 349-366, Dec. 2013. Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-30982013000200002&lng=en&nrm=iso>. access on 18 Mar. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-30982013000200002

ALVES, Humberto Prates da Fonseca. Análise de um indicador de vulnerabilidade socioambiental da Região Metropolitana de Campinas no contexto das mudanças climáticas. In: Anais. XIX Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP, realizado em São Pedro/SP – Brasil. São Pedro: ABEP. 2014

BRAGA, Tânia Moreira; OLIVEIRA, Elzira Lucia de; GIVISIEZ, Gustavo Henrique Naves. Avaliação de metodologias de mensuração de risco e vulnerabilidade social a desastres naturais associados à mudança climática. São Paulo perspect; 20(1): 81-95, jan.-mar. 2006. Disponível em <http://produtos.seade.gov.br/produtos/spp/v20n01/v20n01_06.pdf> Acessado em: 10-mar-2017

CARDONA O. D. et al. System of indicators for disaster risk management: main technical report. Manizales – Washington: Instituto de Estudios Ambientales Universidad Nacional de Colombia / Inter-American Development Bank, 2005.

CIESIN. Center for International Earth Science Information Network. Columbia University. 2016. Gridded Population of the World, Version 4 (GPWv4): Administrative Unit Center Points with Population Estimates. Palisades, NY: NASA Socioeconomic Data and Applications Center (SEDAC). DIsponível em: <http://dx.doi.org/10.7927/H4F47M2C>. Acessado em: 10-mar-2017.

DESCHAMPS, M. V.. Vulnerabilidade socioambiental na região metropolitana de Curitiba. Tese de doutorado. Paraná, Universidade Federal do Paraná. 2004

DESCHAMPS, M. V.. Vulnerabilidade socioambiental nas regiões metropolitanas brasileiras. Brasília, Relatório de atividades do Observatório das Metrópoles. Convênio Ministério das Cidades/Observatório das Metrópoles/Fase/Ipardes. 2006

ELSEVIER [Base de dados de trabalhos científicos]. 2017. Disponível em: < https://www.elsevier.com.br>. Acesso em: 01 mar. 2017.

HOGAN, D. J. et al. (orgs). Migração e ambiente nas aglomerações urbanas. Campinas, Nepo/Unicamp. 2011

KAZTMAN, R. et al. Vulnerabilidad, activos y exclusión social en Argentina y Uruguay. Santiagodo Chile, OIT. (Documento de trabalho, pp. 107). 1999

MAIOR, Mônica Maria Souto; CANDIDO, Gesinaldo Ataíde. Avaliação das metodologias brasileiras de vulnerabilidade socioambiental como decorrência da problemática urbana no Brasil. Cad. Metrop., São Paulo, v. 16, n. 31, p. 241-264, June 2014 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2236-99962014000100241&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 11 Mar. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/2236-9996.2014-3111

O’RIORDAN , T. Precautionary Principle. In: Tolba , M.K. (Ed.). Encyclodia of Global Environmental Change. Chichester, UK: John Wiley, 2002. v. 4.

PERIODICOS CAPES [Base de busca de trabalhos científicos]. 2017. Disponível em: <http://www.periodicos.capes.gov.br >. Acesso em: 01 mar. 2017.

SILVEIRA, H. (2010). Estudo da degradação e do impacto socioambiental na Bacia do Córrego Osório, Maringá – Paraná. Revista Geografar. Curitiba, v. 5, n. 1, pp. 176-205. Disponível em: http://www.ser.ufpr.br/geografar. Acesso em: 10 mar 2017.

UNDP. United Nations Development Programme. Reducing disaster risk: challenge for development. New Yory: UNDP, Bureau for Crisis Prevention and Recovery. 2004. Disponível em: < http://www.undp.org/content/undp/en/home/librarypage/crisis-prevention-and-recovery/reducing-disaster-risk--a-challenge-for-development.html > Acesso em 12/03/2016. ISBN 92-1-126160-0

WBANK, The World Bank. Natural Disaster Hotspots: A Global Risk Analysis. Disaster. Washington, D.C.: The World Bank, 2005. Risk Management Series, n.5. Disponível em: <http://documents.worldbank.org/curated/en/621711468175150317/pdf/344230PAPER0Na101official0use0only1.pdf> Acesso em: 12/03/2016

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física e Desastres Naturais