Serviços ecossistêmicos de provisão do manguezal da reserva de desenvolvimento sustentável estadual Ponta do Tubarão (Macau-RN)

Autores

  • Dayane Raquel da Cruz Guedes Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Ivaniza Sales Batista Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Luiz Antonio Cestaro Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Diógenes Félix da Silva Costa Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2569

Palavras-chave:

Manguezal. Serviços Ecossistêmicos. CICES

Resumo

O manguezal proporciona serviços ecossistêmicos para as comunidades humanas que habitam o entorno desses ambientes. Neste trabalho objetivou-se identificar os serviços ecossistêmicos de provisão prestados pelo manguezal na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual Ponta do Tubarão. A identificação dos serviços ecossistêmicos de provisão (matéria, energia e nutrição)  foi realizada a partir da classificação CICES (Classificação Internacional Comum para Serviços de Ecossistemas), consultando literatura produzidos para a área de estudo e realizando observações locais. Os resultados encontrados consistem numa tabela com três classes de serviços de provisão: plantas nativas, animais nativos e fibras/materiais de algas, de plantas e animais para uso direto ou transformação. Não se observou a utilizaçao de materia do manguezal para a obtenção de energia (lenha e/ou carvão). A partir da identificação dos serviços foi possível observar que o ecossistema de manguezal é importante para as comunidades locais que se beneficiam de forma direta e indireta dos bens e serviços prestados pelo manguezal. 

Biografia do Autor

Dayane Raquel da Cruz Guedes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestranda pelo Programa de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (PPGE),

Ivaniza Sales Batista, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestranda pelo Programa de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (PPGE), Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Luiz Antonio Cestaro, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Docente Permanente do Programa de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (PPGE), Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Diógenes Félix da Silva Costa, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Docente Permanente do Programa de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (PPGE), Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Referências

BALVANERA, P. H.; COTLER, H. Estado y tendências do los servicios ecosistémicos, em Capital natural de México. Estado de conservación y tendências de cambio. Conabio: 185-245, 2009.

BANDARANAYAKE, W. M. Traditional and medicinal uses of mangroves. Mangroves and Salt Marshes, 2. 133-148. 1998.

BRASIL. Lei nº 8.349, de 18 de julho de 2003. Cria a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual Ponta do Tubarão. Disponível em: <http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/idema/DOC/DOC000000000043673.PDF> Acesso em: out 2016.

COMMON INTERNATIONAL CLASSIFICATION OF ECOSYSTEM SERVICES (CICES). Paper prepared for discussion at the expert meeting on ecosystem accounts organized by the UNSD, the EEA and the World Bank, London, 2010.

COSTA, D. F. S.; ROCHA, R. M.; CESTARO, L. A. Análise Fitoecológica e Zonação de Manguezal em Estuário Hipersalino. Mercator, v. 13, n. 1, p. 119-126, 2014.

DIAS, T. L. P.; ROSA, R. S.; DAMASCENO, L. C. P. Aspectos socioeconômicos, percepção ambiental e perspectivas das mulheres marisqueiras da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Ponta do Tubarão (Rio Grande do Norte, Brasil). Gaia Scientia, v. 1, n. 1, p. 25-35, 2007.

FONSECA, S. M.; DRUMMOND, J. A. Reflorestamento de manguezais e o valor de resgate para o sequestro de carbono atmosférico. História, Ciências, Saúde: Manguinhos, v. 10, n. 03, 1071-1081, 2003.

HAINES-YOUNG, R. H.; POTSCHIN, M.B. Ecosystem services: Exploring a geographical perspective. Progress in Physical Geography, v. 35, n. 5, p. 575–594, 2011.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E MEIO AMBIENTE DO RIO GRANDE DO NORTE – IDEMA. Macau. Informativo Municipal, 1999.

MATTOS, P. P. KONIG, A. FREIRE, F.A.M. ALOUFA, M.A.I. Etnoconhecimento e percepção dos povos pesqueiros da Reserva Ponta do Tubarão acerca do ecossistema manguezal. Revista Brasileira de Biociências, n. 10, p. 481-489. 2012.

MILLENIUM ECOSYSTEM ASSESSMENT (MEA). Ecosystem and human well-being: a framework for assessment. Washington: Island Press, 2003, 245 p.

NOBRE, I. M. Revelando os modos de vida da Ponta do Tubarão. 2005. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

QUEIROZ, R.N.M.; DIAS, T.L.P. Molluscs associated with the macroalgae of the genus Gracilaria (Rhodophyta): importance of algal fronds as microhabitat in a hypersaline mangrove in Northeastern Brazil. Braz. J. Biol. v. 74, n. 3, p. 52-63. 2014.

RABELO, M. S. A cegueira do óbvio: a importância dos serviços ecossistêmicos na mensuração do Bem-Estar. Tese (Doutorado). Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Ceará, 2014.

ROCHA JÚNIOR. J. M. Avaliação ecológica-econômica do manguezal de Macau/RN e a importância da aplicação de práticas preservacionistas pela indústria petrolífera local. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-graduação em Ciência e Engenharia de Petróleo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2011.

SUDENE, 1969. Cartas Topográficas. Escala 1:100.000. Folhas: SB-24-X-D-II Macau e SB-24-X-D-III São Bento do Norte. Região Nordeste do Brasil. MINTER – Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste.

VANNUCCI, M. Os manguezais e nós: uma síntese de percepções. São Paulo: EDUSP, 2002. 244 p.

YE, Y., TAM N. F-Y., LU, C-Y., WONG, Y-S. Effects of salinity on germination, seedling growth and physiology of three salt-secreting mangrove species. Aquatic Botany, v. 83, 193–205. 2005.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Biogeografia, Manejo de Áreas Naturais e Protegidas: Conservação da Biodiversidade