Desenvolvimento de mapas com perspectiva tridimensional: contribuições ao ensino de geomorfologia

Autores

  • Rafael Rodrigues Brizzi Instituto Federal do Rio de Janeiro
  • Andréa Paula d Souza Departamento de Geografia/Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
  • Alexander Josef Sá Tobias da Costa Departamento de Geografia/Instituto de Geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Kelly Souza Costa Mestranda do programa de Pós Graduação de ensino em Educação Básica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2590

Palavras-chave:

Anaglifos. Ensino de geomorfologia. Geografia física

Resumo

O avanço da tecnologia tem aumentado o interesse do discente para a compreensão do espaço geográfico, pois softwares como o Google Earth e QGIS facilitam essa aproximação, tornando o ensino de geografia física menos abstrato, mais lúdico e atraente. Logo, tem-se como proposta a criação e a aplicação de mapas com perspectiva 3D nas aulas de geomorfologia, pois estes se mostram como facilitadores de delimitação/interpretação de bacias hidrográficas e seus componentes em estudos que envolvem impactos ambientais, e possibilitam a interdisciplinaridade, que comunga para uma melhor interpretação do espaço geográfico. A metodologia usada para este trabalho contou com a utilização de softwares como o ERDAS, Global Mapper e ArcGis. Ressalta-se que o método baseia-se em princípios aerofotogramétricos largamente abordados na literatura, sendo fundamental sua compreensão para a utilização do produto final em sala de aula, onde o mesmo mostrou-se eficiente e facilitador dos conceitos geomorfológicos e de suas aplicações no ensino básico.

Biografia do Autor

Rafael Rodrigues Brizzi, Instituto Federal do Rio de Janeiro

Instituto Federal do Rio de Janeiro

Andréa Paula d Souza, Departamento de Geografia/Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Departamento de Geografia/Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Alexander Josef Sá Tobias da Costa, Departamento de Geografia/Instituto de Geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Departamento de Geografia/Instituto de Geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Kelly Souza Costa, Mestranda do programa de Pós Graduação de ensino em Educação Básica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Mestranda do programa de Pós Graduação de ensino em Educação Básica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

ARMSTRONG, D.L.P. Fundamentos Filosóficos do ensino de ciências naturais. Curitiba: IBPEX, 2008.

BERTOLINI W. Z.; VALADÃO R. C. A abordagem do relevo pela geografia: uma análise a partir dos livros didáticos, Campinas, Terræ Didatica, 5(1):27-41. 2009.

CASTRO, C. M.; SILVA, T.M. Apropriação do relevo e paisagens tecnogênicas: discussões acerca do ensino da geomorfologia com base em exemplos cariocas e fluminenses, Campinas, TERRÆ DIDATICA 10-2:81-90. 2014.

DISPERATI, A.A.; SCHULER, C.A.B. Anaglifos digitais e sua aplicação na fotointerpretação temática. 1a ed., Guarapuava: Unicentro, 2010.

PIRES, T. B.; PEREIRA, T.H.A.A.; PIPITONE M.A. P. O Uso do Google Earth e a apresentação de imagens tridimensionais como ferramentas complementares para a educação ambiental, Fortaleza, Geosaberes, v. 7, n. 13, p. 112-122, jul. / dez. 2016.

VENTURI, L. A. B. V. Ensaio geográfico. São Paulo: Humanitas, 2008.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física: Currículo, Formação e Práticas de Ensino