Utilização da compartimentação fisiográfica como subsídio na indicação de áreas susceptíveis a movimentos de massa: estudo de caso em Caraguatatuba e São Sebastião (SP)

Autores

  • Claudia Vanessa dos Santos Corrêa Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
  • Fábio Augusto Gomes Vieira Reis Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
  • Lucília Carmo Giordano Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
  • Camila Jardinetti Chaves Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
  • Ana Maria Carrascosa do Amaral Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2600

Palavras-chave:

Serra do Mar. Planície costeira. Movimentos de massa. Cicatrizes de escorregamento

Resumo

O objetivo deste trabalho foi de realizar a compartimentação fisiográfica das bacias hidrográficas Juqueriquerê, Santo Antônio e São Francisco, inseridas nos municípios de Caraguatatuba e São Sebastião (SP), em escala 1:50.000, com finalidade de identificar os locais com maior vulnerabilidade à ocorrência de movimentos de massa, com subsídio de bases cartográficas em escala 1:50.000 (IBGE), mapas geológicos em escala 1:50.000 (IG/ CPRM) e ortofotos com resolução 1:10.000 (EMPLASA), além de identificação de cicatrizes de escorregamento. Foram delimitadas unidades fisiográficas nas planícies fluviais e flúvio-marinhas; nos locais com depósitos de colúvio e de tálus, nos granitoides em morros isolados, nos granitoides e gnaisses-migmatitos associados às médias e baixas encostas de serra e nas áreas de topo com predominância de granitoides e a gnaisses migmatitos. Observou-se que as unidades fisiográficas localizadas na região serrana possuem maior potencialidade à ocorrência de processos de movimentos de massa devido aos seus valores de densidade textural.

Biografia do Autor

Claudia Vanessa dos Santos Corrêa, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Fábio Augusto Gomes Vieira Reis, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Lucília Carmo Giordano, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Camila Jardinetti Chaves, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Ana Maria Carrascosa do Amaral, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”

Referências

ALMEIDA, F. F. M. Fundamentos Geológicos do Relevo Paulista. Boletim do Instituto de Geografia e Geologia, São Paulo, n. 41, p. 169-263. 1964.

AUGUSTO FILHO, O. Cartas de risco de escorregamentos: uma proposta metodológica e sua aplicação no município de Ilhabela, SP. Dissertação (Mestrado em Engenharia), Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1992. 162 p.

BRUNSDEN, D.; PRIOR, D. B. Slope Instability. Chichester: John Wiley, 1984.

CARDOSO, D.; RIEDEL, P.S.; VEDOVELLO, R.; BROLLO, M.J.; TOMINAGA, L.K. Compartimentação fisiográfica do município de Peruíbe, litoral de São Paulo – uma abordagem metodológica como subsídio à avaliação geotécnica de terrenos. Pesquisas em Geociências, v.3, n. 36, p. 251-262, set./dez. 2009.

CORRÊA, C.V. S. Zoneamento Geoambiental da região compreendida pelas folhas topográficas São José dos Campos e Jacareí– SP. Dissertação (Mestrado em Geociências e Meio Ambiente), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, UNESP – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2013. 172 p.

CPRM - COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS. Mapa geológico da Folha Caraguatatuba. SF-23-Y-D-VI-1. São Paulo: CPRM, 1982. Escala 1:50.000.

CPRM - COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS. Mapa geológico da Folha Pico do Papagaio. SF-23-Y-D-V-2. São Paulo: CPRM, 1991. Escala 1:50.000.

EM-DAT. International Disaster Database. 2008. Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2017.

FERNANDES, N. F.; AMARAL, C. P. Movimentos de massa: uma abordagem geológico-geomorfológica. In: Guerra, A.J.T.; Cunha, S.B. (Orgs.). Geomorfologia e Meio Ambiente. Rio de Janeiro: Bertrand, 1996. p. 123- 194.

FREITAS, C. G. L.; TAVEIRA, L. S.; PECCHIAI, F. Situações de risco na região da Serra do Mar no Estado de São Paulo: obras lineares. In: Simpósio Latino Americano sobre risco geológico urbano, 1, 1990, São Paulo. Anais... São Paulo: ABGE, 1990.

GOMES, R.A.T. Modelagem de Previsão de Movimentos de Massa a Partir da Combinação de Modelos de Escorregamentos e Corridas de Massa. Tese (Doutorado) - Geografia, UERJ, Rio de Janeiro, 2006. 180p.

GOMES, C.L.R.; OGURA, A.T.; GRAMANI, M.F.; CORSI, A.C.; ALAMEDDINE, N. Retro-análise da corrida de massa ocorrida no ano de 1967 nas encostas da Serra do Mar, vale dos rios Camburu, Pau D‟ Alho e Canivetal, município de Caraguatatuba - SP: quantificação volumétrica dos sedimentos depositados nas planícies de inundação. In: Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental, 12, Recife, 2008. Anais... Recife: ABGE, 2008. CD-ROM.

GRAMANI, M.F. Caracterização geológica-geotécnica das corridas de detritos (“Debris Flows”) no Brasil e comparação com alguns casos internacionais. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Solos), EPUSP - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2001. 372 p.

GUY, M. Quelques principes e quelques expériences surla methodologie de la photointerpretation. In: Symp. Intern. Photo-Interpretation, 2., Paris, Acte… v.1, p. 21-41. 1966.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Folha de Maresias. São Paulo: IBGE, 1973. SF-23-Y-D-V-4. Escala 1:50.000.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Folha de Caraguatatuba. São Paulo: IBGE, 1974a. SF-23-Y-D-VI-1. Escala 1:50.000.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Folha do Pico do Papagaio. São Paulo: IBGE, 1974b. SF-23-Y-D-V-2. Escala 1:50.000.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Folha de São Sebastião. São Paulo: IBGE, 1975. SF-23-Y-D-VI-3. Escala 1:50.000.

IG – INSTITUTO GEOLÓGICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Mapa geológico

do município de São Sebastião. São Paulo: IG, 1996. Escala 1:50.000.

IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS. Estudo das instabilizações de encostas na Serra do Mar na região de Cubatão objetivando a caracterização do fenômeno “corrida de lama” e da prevenção de seus efeitos. Relatório n. 26 258. 1988.

LARSEN, M. C.; TORRES-SANCHEZ, A. J. The frequency and distribution of recent landslides in three montane tropical regions of Puerto Rico. Geomorphology, v. 24, p. 309- 331. 1998.

MONTGOMERY, D.R. Road surface drainage, channel initiation, and slope instability. Water Resources Research, v. 30, p. 1925–1932. 1994.

OLIVEIRA, E.M. Carta geológico-geotécnica como subsídio a elaboração de cartas de sensibilidade ambiental, a derrames de petróleo e derivados, na região do oleoduto “Guararema-São José dos Campos”, Vale do Paraíba (SP). Dissertação (Mestrado em Geociências e Meio Ambiente), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, UNESP – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2009.

ONU – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Working party on world landslide inventory. Bulletin of the IAEG, 41, p. 5-12. 1993.

PAULA, J. P. L. de; ZAINE, J. E.; LIMA M. S.; OLIVEIRA, E. M. de. Análise fisiográfica aplicada à elaboração de mapa geológico-geotécnico da região da Serra do Mar e Baixada Santista. São Paulo: Revista Geociências, UNESP, 27 (2), p. 249-264, 2008.

PENIDO, L. R.; KUX, H. J. H.; MATTOS, J. T. Aplicação de Técnicas de Sensoriamento Remoto e GIS como subsídio ao planejamento rodoviário. Estudo de Caso: Trecho Oeste do Rodoanel Metropolitano de São Paulo, Brasil. In: Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 9., 1998, Santos. Anais... São Paulo: Imagem Multimídia. Seção de Comunicações Técnico-Científicas, 2003. CD-ROM.

SILVA, P. C. F.; VEDOVELLO, R.; FERREIRA, C. J.; CRIPPS,J. C.; BROLLO, M. J.; FERNANDES, A. J . Geo-environmental mapping using physiographic analysis: constraints on the evaluation of land instability and groundwater pollution hazards in the Metropolitan District of Campinas, Brazil. Environmental Earth Sciences, v.61, n.8, p. 1657-1675, 2010.

SILVA-FILHO, E.P. Movimentos de massa na vertente sul florestada do maciço da Tijuca: casos de fevereiro/1988 nas estradas Dona Castorina e Vista Chinesa. Dissertação (Mestrado em Geografia), Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1992.

SOARES, P. C.; FIORI, A. P. Lógica e sistemática na análise e interpretação de fotografias aéreas em geologia. Notícia Geomorfológica, v. 16, n. 32, p. 71–104, 1976.

SOARES, P.C.; FIORI, A.P.; MATTOS, J.T. A lógica de interpretação de fotografias aéreas convencionais aplicada a imagens de satélite. In: Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 1. São José dos Campos. Anais... São José dos Campos: CNPq/INPE. p. 616-618. 1978.

VEDOVELLO, R. Zoneamentos Geotécnicos Aplicados à Gestão Ambiental, a partir de Unidades Básicas de Compartimentação – UBCs. Tese (Doutorado em Geociências e Meio Ambiente), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, 2000.

VENEZIANI, P; ANJOS, C. E. Metodologia de interpretação de dados de Sensoriamento Remoto e aplicações em Geologia. São José dos Campos: INPE, 1982. 54p.

WRIGHT, V. G.; KRONE, R. B. Erosion processes in upland areas. In: FRENCH, R.H. (ed.). Hydraulics/Hidrology of Arid Lands (H2AL). p.142-147. 1990.

ZAINE, J. E. Método de Fotogeologia aplicado a estudos geológico-geotécnicos: ensaio em Poços de Caldas, MG. Tese (Livre docência em Geociências e Meio Ambiente), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, 2011.

ZERKAL, S.V.; ZERKAL, O.V. Simulation flow landslides by particle method. In: International Symposium on landslides, 9, 2004. Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: 2004.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física e Desastres Naturais