Etnogeomorfologia sertaneja: análise aplicada no sítio Triângulo Abaiara/CE

Autores

  • Francisca Ranielly de Brito Macêdo Estudante de Licenciatura em Geografia, Bolsista de Iniciação Científica – PIBIC/URCA
  • Maria Rayssa Vieira Antunes Estudante de Licenciatura em Geografia, Bolsista de Iniciação Científica – PIBIC/URCA
  • Sinara Gomes de Sousa Mestranda em Geografia, UFPE
  • Simone Cardoso Ribeiro Professora Associada – DEGEO, Doutora em Geografia, URCA

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2607

Palavras-chave:

Etnoconhecimento. Produtores rurais. Cariri cearense

Resumo

Este  trabalho tem o objetivo de identificar como os produtores familiares sertanejos do Sítio Triângulo – Abaira/CE, entendem os processos geomorfológicos, como aplicam estes conhecimentos no uso e manejo do solo e qual a denominação utilizada na classificação da paisagem geomórfica. A metodologia consistiu em um levantamento bibliográfico e cartográfico, para compreensão do conceito de Etnogeomorfologia e reconhecimento da área de estudo. Em campo, foram realizadas entrevistas com os produtores para identificar seus conhecimentos vernaculares. Com os dados obtidos nas entrevistas, identificram-se as unidades etnogemorfológicas e os tipos de solos presentes em suas áreas de vivência. Sobre os processos erosivos os mesmos possuem formas peculiares de classificá-los e no seu controle, eles afirmam que é necessário conservar a vegetação nessas áreas. Assim conclui-se que a Etnogeomorfologia  tem um papel importante para o desenvolvimento das comuidades tradicionais, e pode ser utilizada em um diálogo mais efetivo entre a academia e a população.

Biografia do Autor

Francisca Ranielly de Brito Macêdo, Estudante de Licenciatura em Geografia, Bolsista de Iniciação Científica – PIBIC/URCA

Estudante de Licenciatura em Geografia, Bolsista de Iniciação Científica – PIBIC/URCA

Maria Rayssa Vieira Antunes, Estudante de Licenciatura em Geografia, Bolsista de Iniciação Científica – PIBIC/URCA

Estudante de Licenciatura em Geografia, Bolsista de Iniciação Científica – PIBIC/URCA

Sinara Gomes de Sousa, Mestranda em Geografia, UFPE

Mestranda em Geografia, UFPE

Simone Cardoso Ribeiro, Professora Associada – DEGEO, Doutora em Geografia, URCA

Professora Associada – DEGEO, Doutora em Geografia, URCA

Referências

DIEGUES, A. C. S. O mito moderno da natureza intocada. São Paulo: Hucitec, 1996.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades: Abaiara. Disponível em: http://cod.ibge.gov.br/1PH0 Acesso em: 24/12/2016.

IPECE. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará. Perfil Básico Municipal de Abaiara - 2016. Disponível em: http://www.ipece.ce.gov.br/perfil_basico_municipal/2016/Abaiara.pdf Acesso: 22/12/2016.

RIBEIRO, S.C. Etnogeomorfologia sertaneja: proposta metodológica para a classificação das paisagens da sub-bacia do rio Salgado/CE. Rio de Janeiro: UFRJ/PPGG, 2012. 278 p. (Tese de Doutorado).

RIBEIRO, S.C. Etnogeomorfologia na Perspectiva da Gestão Ambiental e Aprendizagem na Educação Básica. Espaço Aberto, PPGG - UFRJ, V. 6, N.1, p. 175-190, 2016.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Temas Gerais