A PRÁTICA DE ENSINO DE GEOGRAFIA NAS ASSOCIAÇÕES ESCOLARES: ESCOLA NOSSA E ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE NITERÓI

  • Marcela Guimarães Lacerda
Palavras-chave: Contexto educacional, Prática social.

Resumo

Esta pesquisa investigou as aulas dos professores de Geografia na Associação Educacional de Niterói (AEN) e na Escola Nossa (EN). O objetivo foi analisar se suas práticas de ensino possuíam influências dos contextos educacionais dessas instituições. Isso porque, apesar de serem escolas privadas, são mantidas por Associações sem fins lucrativos e foram criadas a partir da união e movimentação dos familiares dos alunos, que desejavam uma instituição com maior qualidade educacional e mensalidades mais baratas. No caso da EN, professores também participaram da sua fundação em prol da construção de uma escola com melhores salários. Justifica-se, assim, a necessidade de verificar os significados dessas ações que fundaram esse modelo escolar, pois aconteceram impulsionadas por um contexto histórico maior, questionando alguns elementos que compõem tradicionalmente os sistemas educacionais. Pretendeu-se compreender como essas associações educacionais se organizam institucional e pedagogicamente, quais são as propostas para a disciplina Geografia e como acontece a articulação com as práticas e os saberes espaciais dos estudantes. Essa investigação é um estudo de caso que aconteceu por meio da observação das escolas e das aulas dos professores de Geografia; da leitura de documentos institucionais, como os Estatutos das Associações, os Regimentos e os Projetos Políticos Pedagógicos; da realização dos questionários com os professores de Geografia; e das entrevistas com alguns funcionários da equipe pedagógica e alguns professores de Geografia. Ao final da pesquisa, observou-se que a participação e a coletividade são práticas sociais em ambas as escolas. Características provenientes dos contextos de organizações escolares, mesmo que a maioria dos membros das Associações sejam ausentes. Durante as aulas de Geografia, a interatividade e a participação também eram práticas recorrentes; os alunos em seus posicionamentos demonstraram autonomia e protagonismo. Observou-se também que a proposição de um outro modelo escolar não é garantia de que ocorram mudanças no ensino e na aprendizagem. Embora as práticas pesquisadas tenham acontecido por meio de diferentes procedimentos, todas apresentaram algum aspecto das tendências tradicionais da Pedagogia ou da Geografia.

Publicado
2019-12-05
Edição
Seção
Saberes docentes e a produção do conhecimento da Geografia Escolar