O CAMPO PROFISSIONAL DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA (1930-1960) E O DUALISMO DO ENSINO SECUNDÁRIO

  • Felipe Janini Bonfante
  • Márcia Cristina de Oliveria Mello
Palavras-chave: Reformas do Ensino, Educação, Estado de São Paulo.

Resumo

A educação no Estado de São Paulo, ao longo de sua história, passou por diversas reorganizações, cada qual refletia seu contexto histórico, e não escapava do ideário vigente, de 1930 a 1960 destacam-se as reformas Francisco Campos, a constituição de 1937 e a reforma Capanema. Neste ínterim cria-se a Universidade de São Paulo e inicia-se, em nível superior, a formação de professores, para a área de humanidades. Outrora a formação de professores para o ensino secundário era quase inexistente, os professores oriundos dos primeiros cursos da USP vieram a suprir esse deficit. O presente artigo tem como objeto, a partir da história do ensino de Geografia, apresentar os resultados parciais da pesquisa “Orientações metodológicas destinadas aos professores de Geografia para o ensino secundário da escola paulista (1934-1960)”. Visando o contexto socioeconômico da época, as reformas que foram postas em prática, bem como suas intenções, mostramos um panorama do campo de trabalho desses primeiros docentes, principalmente o dualismo que tomou conta do ensino secundário após a famigerada Reforma Capanema

Publicado
2019-12-09
Edição
Seção
História da Geografia Escolar: conteúdos, recursos didáticos e ideologias