O USO DA CARTOGRAFIA NO ENTENDIMENTO DE PLANEJAMENTO AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO SEGREDO NA CIDADE DE CAMPO GRANDE – MS

  • Natália Aude Leite de Araújo Silva
Palavras-chave: Mapeamento, Espaço Urbano.

Resumo

O processo de urbanização no contexto atual tem gerado diversos problemas em relação às condições de qualidade de vida do homem. A gestão dos recursos hídricos, os rios urbanos, e as bacias hidrográficas apresentam-se altamente degradados, especificamente pelo uso e ocupação do solo de forma desarranjada. Em Mato Grosso do Sul, a cidade de Campo Grande, evidencia cenários desse quadro em seu espaço urbano. Referindo-se a bacia do Córrego Segredo percebe-se aspectos da suscetibilidade ao risco na várzea de inundação, sobretudo no médio curso. Dessa forma, o presente estudo busca refletir e compreender por meio da cartografia a suscetibilidade ao risco da várzea de inundação na referida bacia, através da representação em uma maquete. Disciplinado nas recomendações de mapeamento para área de risco de inundação em áreas urbanas desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Tecnológica, 2007, e base teórica conceitual em artigos, dissertações e teses aplicado à temática, foi possível compreender que o mapeamento de áreas de risco à inundação constitui-se numa importante ferramenta para a aprendizagem, entendimento, controle e gestão do fenômeno. Os resultados apontaram que para mitigar o risco de vulnerabilidade a inundação na área perpassa por estratégias de ações, buscando a precaução enfatizando métodos e técnicas, que repercutem no conhecimento, planejamento e gestão ambiental urbana.

Publicado
2019-12-09
Edição
Seção
Linguagens cartográficas no Ensino de Geografia