EXPERIÊNCIAS INTERNACIONAIS DE ARTICULAÇÃO UNIVERSIDADEESCOLA NA EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA E OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO INICIAL DOCENTE

  • Maria Anezilany Gomes do Nascimento
Palavras-chave: formação de professores de geografia, ensino de geografia, racionalidade prática

Resumo

O trabalho resulta da experiência e do convívio com dois projetos de Educação Geográfica, a saber o projeto português Nós Propomos! Cidadania e Inovação na Educação Geográfica, vinculado ao Instituto de Geografia e Ordenamento do Território/IGOT, na Universidade de Lisboa, e o Projeto Holandês Geo Future School, desenvolvido por professores da Universiteit Utrecht e da Universiteit Amsterdam. Essas experiências, assentes em consolidadas articulações entre a escola e a universidade, são trazidas para refletir sobre os desafios no campo da formação e profissionalização dos futuros professores de geografia, mesmo em contextos de aproximação alicerçada entre essas duas instituições. A mobilização, as ações e os resultados que esses projetos apresentam, no âmbito da intervenção territorial e da educação geográfica chamaram a atenção para dois aspectos fundamentais. O primeiro é o fato de que mesmo em realidades onde não se verificam políticas de Estado, a Universidade consegue produzir exitosas parcerias formalizadas e protocolizadas com a Escola e demais organizações sociais, aproveitando-se de componentes do currículo escolar e/ou ou mobilizando ações extracurriculares. O outro aspecto toca exatamente no problema referenciado por Nóvoa, dentre outros estudiosos dessa questão: a formação inicial precisa ser efetivamente incorporada nessas agendas se pretendemos caminhar rumo à almejada racionalidade prática, nessa profissionalização docente.

Publicado
2019-12-10
Edição
Seção
Raciocínio geográfico no Ensino de Geografia