PERCEPÇÕES E IMAGENS DE PROFESSORES MARCANTES: ESTUDO COM ESTAGIÁRIOS DE GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

  • Dayana Karla Barbosa da Silva
  • Willian Falcão Lopes
  • Liége Maria Sitja Fornari
  • Maria Inez da Silva de Souza Carvalho
Palavras-chave: Imagem, memória imagética, professores marcantes

Resumo

O referido estudo debruçou-se sobre as percepções e imagens de professores marcantes dos estagiários de Geografia da Universidade Federal da Bahia analisando os impactos dessas marcas nos processos de ensino-aprendizagem. Para tanto, foram desenvolvidos os seguintes procedimentos: entrevistas semiestruturadas com dez estagiários regularmente matriculados no componente curricular de Estágio Supervisionado em Geografia I, no semestre 2018.2. O estudo apoiou-se nas abordagens qualitativas de pesquisa, sendo um estudo exploratório. A compreensão a que se chegou foi que para os estagiários o marcante pode ser percebido enquanto negativo ou positivo, depende muito das sensações e do contato dos sujeitos com o fenômeno em relação às suas experiências prévias. Sobre as percepções e imagens de professores marcantes, no que tange aos aspectos positivos, a maiorias dos sujeitos aponta para imagens de professores que trabalham nas suas aulas com a afetividade, com as emoções e que valorizam os estudantes e os seus saberes vivenciais. Já para as imagens “negativas” de professores marcantes são apontados os sujeitos que desenvolvem as suas aulas de forma autoritária, transmissiva, desencorajadora e despreocupada com a vivência dos estudantes. Dessa forma, foi possível perceber que essas imagens de professores marcantes influenciaram diretamente na escolha da docência enquanto campo de atuação profissional dos estagiários, além de que impactam diretamente nos processos de ensino-aprendizagem, na relação do estudante com o professor, com a disciplina, com o conteúdo e até com a instituição escolar.

Publicado
2019-12-10
Edição
Seção
Múltiplas linguagens no Ensino de Geografia