UMA PROPOSTA DIDÁTICA PARA O ENSINO DE CERRADO: O TRABALHO DE CAMPO ALIADO A LINGUAGEM FOTOGRÁFICA

  • Janine Cordeiro Braga
  • Camylla Silva Otto
  • David de Abreu Alves
  • Tiago Felis Pinheiro
Palavras-chave: Ensino de Geografia, Linguagem, Sequência Didática

Resumo

O presente artigo tem como objetivo propor uma sequência didática a ser trabalhada nas aulas de Geografia do Ensino Básico, efetuando uma articulação entre o Trabalho de Campo e a Linguagem das fotografias na abordagem do Ensino de Cerrado. O uso da Linguagem fotográfica surge como uma possibilidade de estreitar a relação entre o conteúdo teórico com as operações mentais desenvolvidas pelos alunos ao evidenciarem temas e conteúdos da Geografia. Dentro da proposta de campo, as questões sobre apropriação rural e urbana são elementares para a reflexão e debate acerca das transformações causadas pela ação antrópica impulsionadas pelo viés do capitalismo. Metodologicamente nos pautamos em uma abordagem qualitativa com uso procedimental do levantamento bibliográfico, na tentativa de obter um produto de uso prático, e não prescrito, aos professores de Geografia. Tal proposição se faz pertinente uma vez que o esmiuçar de questões sobre o Ensino de Geografia e Trabalho de Campo, valorativos a temáticas locais, são essenciais para o avanço da Geografia enquanto Ciência e disciplina escolar. Neste sentido, compreendemos que é necessário pensar o ensino de Geografia a partir da reflexão de uma sociedade que se depara com intensas transformações no espaço geográfico, tornando cada vez mais complexas as relações da sociedade com o ambiente. Como resultado de nossa pesquisa, que se faz teórica (mesmo com a execução do pré-campo), apresentamos a própria sequência didática em uma perspectiva geográfica, organizada conforme o pensamento de mediação didática de relação entre os conteúdos geográficos e as operações mentais a serem desenvolvidas pelos alunos.

Publicado
2019-12-10
Edição
Seção
Múltiplas linguagens no Ensino de Geografia