ASSOCIAÇÃO LIVRE: ENTRE A PSICANÁLISE E O ENSINO DE GEOGRAFIA

  • Juliana Maddalena Trifilio Dias
Palavras-chave: Palavra, Freud, Inconsciente

Resumo

Na Geografia brasileira contemporânea é possível encontramos abertura, pluralidade e a incorporação de diferentes perspectivas e ancoragens teóricas. Nesta mesma seara, a Educação Geográfica como campo teórico e metodológico, nos inquieta e nos movimenta a pensar as reverberações e os efeitos dessas diversas incorporações na geografia vivida e praticada na escola básica e nos cursos de formação de professores. Vivemos, dialogamos e estabelecemos relações teóricas e metodológicas com diferentes correntes do pensamento científico, mas em que medida isto produz efeitos na Educação Geográfica? Neste campo plural, escolho as contribuições da Psicanálise para refletirmos epistemologicamente sobre questões ligadas à prática do ensino em Geografia. Para este exercício reflexivo, este texto apresenta uma breve introdução sobre a Psicanálise, uma discussão conceitual sobre o método da associação livre, um registro de campo fruto da pesquisa de doutoramento, “Lugar geopsíquico: contribuições da Psicanálise para uma epistemologia da Geografia” (DIAS, 2019) e questões que atravessam a prática do ensino em Geografia. Nosso psiquismo tem sido pouco ou quase nada explorado na compreensão de nossa geograficidade, principalmente na produção brasileira do conhecimento geográfico. A relação entre o mundo interno e o mundo externo tem sido historicamente assumida com ênfase no externo ou até mesmo o mundo externo apartado do mundo interno. Dessa forma, é neste contexto sobre as relações entre os mundos internos e mundos externos em que este trabalho se insere, todavia, com ênfase no que ocorre nos mundos internos e na relação entre os dois mundos. Neste trabalho, a palavra é movente, é efeito, produz sentido, é inerente ao humano e é vista em sua potência nas geografias vividas em espaços escolares e não escolares. A palavra está presente em tudo o que fazemos, mesmo quando em alguns momentos ela nos falta. Mas o modo como Freud singularizou a fala, colocou a palavra em outra condição e é neste outro modo de considerar a palavra que a localizo.

Publicado
2019-12-10
Edição
Seção
Múltiplas linguagens no Ensino de Geografia