A CIDADANIA, O CYBER-ESPAÇO E O ENSINO DE GEOGRAFIA: A REDE SOCIAL INSTAGRAM COMO POSSIBILIDADE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

  • Ademar Ferreira Gonçalves Júnior
  • Bruno Ripardo de Aguiar
Palavras-chave: Ensino de Geografia, Internet, Paisagem

Resumo

A abordagem sobre métodos e metodologias no que tange o ensino de geografia por muito passa longe do ideal quando analisada criticamente a efetividade das práticas pedagógicas apresentadas em sala de aula e uma revisão, seguida de uma proposta que não finda em si mesma, fazem-se necessárias na discussão acadêmica e, mais profundamente, institucional. Observado criteriosamente, à luz do método histórico-dialético, constatou-se que a ciência geográfica, nacionalmente, vem perdendo espaços tanto no âmbito escolar quanto no meio acadêmico, e muito dessas perdas se referem à enorme lacuna entre geografia acadêmica e geografia escolar e pelo afastamento da ciência com o meio informacional – apesar de tê-lo como objeto de estudo. Para tanto, observou-se, durante 3 (três) meses a realidade escolar da instituição de ensino público, o colégio Dr. Celso Malcher e no cursinho pré-vestibular da Rede Emancipa, localizadas no bairro Universitário, Belém/PA, a partir do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) e do Projeto de Extensão “Apoio à Organização Social de Comunidades Populares a Partir da Cartografia Participativa”, tratando-se de organizações cuja existência estão diretamente ligadas às lutas de movimentos sociais, associações de bairros – passadas e atuais – com o objetivo de analisar como desenvolver formas que consigam relacionar a ciência geográfica (acadêmica) com a geografia escolar, isto é, com o cotidiano vivido dos alunos. O estudo recuperou, portanto, a historiografia tanto da ciência geográfica quanto da localidade do bairro para entender a paisagem do mesmo e como ela é reflexo dos problemas estruturais da cidade de Belém e, principalmente, visualizar as possibilidades de melhora, com a apropriação do conhecimento geográfico e aplicando-o na realidade vivida do alunado. Evidenciou-se, além disso, as possibilidades criadas, com o suporte do uso da rede social Instagram, no âmbito pedagógico e social, promovendo o intercâmbio efetivo entre geografia acadêmica e geografia escolar, colocando os alunos das instituições como protagonistas no processo pedagógico do ensino. Concluiu-se que a geografia, como disciplina escolar e como ciência, pôde recuperar seu verdadeiro papel: de desvendar as desigualdades sociais.

Publicado
2019-12-11
Edição
Seção
Tecnologias digitais no Ensino de Geografia