MAPEAMENTOS E TICS: UM EXERCÍCIO DE REFLEXÃO SOBRE DIFERENTES MODOS DE APRENDER

  • Patrícia Silva Leal Coelho
  • Louriene Gonçalves dos Santos
Palavras-chave: Educação Cartográfica, Mapeamento, Cartografia

Resumo

O ensino da Cartografia, nos últimos anos tem passado por uma série de reformulações devido a inserção das novas tecnologias de informação e comunicação acessíveis. As cartografias digitais têm tomado proporções muito maiores, sendo passíveis de acesso desde redes sociais, até por meio de softwares mais específicos. O fato é que não há mais um grupo específico que produzam mapas. Houve um deslocamento dessa “função” em nome de uma hibridização dos dispositivos de mapeamento. Associado a isso, há um grande grupo de estudantes nas instituições de educação básica que são “cartógrafos” e que constantemente produzem mapas, por dispositivos diversos. Entende-se que a cartografia escolar é composta por uma tríade: Geografia, Cartografia e Educação, e que segundo SEEMANN (2010) e SIMIELLI (2010) existe um processo de apreensão da cartografia que se inicia na alfabetização, passa pelo processo de análise∕ localização e conclui-se com a correlação e síntese. Reflete-se também sobre a importância da atualização de práticas na formação docentes, e do estabelecimento de parcerias entre instituições de ensino superior e instituições de educação básica, que em muitas já existe, e que precisa ser cada vez mais aperfeiçoada. O presente trabalho visa apresentar um processo desenvolvido em parceria com instituições, como as acima citadas, com o uso de TICs, sendo descritas algumas práticas, além do método utilizado. Salientamos que este faz parte de um projeto maior que compõem o desenvolvimento de uma tese de doutoramento em Geografia e as atividades de um projeto de iniciação científica júnior (PIC JR – FAPES).

Publicado
2019-12-11
Edição
Seção
Tecnologias digitais no Ensino de Geografia