O TRABALHO DE CAMPO COMO INSTRUMENTO PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO GEOGRÁFICO

  • Ricardo Chaves de Farias
  • Alcinéia de Souza Silva
Palavras-chave: Educação Básica, Geografia, Método

Resumo

O trabalho de campo nas aulas de Geografia possibilita e viabiliza a construção do conhecimento geográfico ao oportunizar o envolvimento e a proximidade do estudante com o objeto de estudo, diretamente no lócus onde os fatos e/ou fenômenos se processam. À vista disso, o objetivo do artigo, que tem um viés propositivo por sugerir um método para o desenvolvimento do trabalho de campo na Educação Básica, é discorrer sobre as potencialidades desta metodologia a partir da apresentação de uma prática realizada no município de Pirenópolis-GO, com estudantes do 6° ano do Ensino Fundamental - Anos Finais de uma escola do Distrito Federal (DF). A discussão teórica de cunho crítico, na qual contempla os principais pressupostos acerca do ensino de Geografia e de suas questões metodológicas, assim como a análise qualitativa das informações coletadas pela observação participante na pesquisa empírica, constituem-se os procedimentos metodológicos empregados nesse trabalho. Os resultados explicitam que, partindo de um método que assegure o desenvolvimento pedagógico dessa prática, e de aportes teóricos que favoreçam a compreensão da(s) espacialidade(s) dos fatos/fenômenos, o trabalho de campo contribui para o desenvolvimento cognitivo e a formação do pensamento crítico/reflexivo do indivíduo. Mas, para isso, destaca-se que é preciso desenvolvê-lo de modo a superar as concepções construídas no senso comum, nas quais o define como passeio, atividade recreativa, excursão ou mera saída escolar. Sua finalidade é educativa e deve viabilizar a construção do conhecimento geográfico/científico por meio de atividades práticas e mentais frente aos fenômenos que são identificados e percebidos na paisagem.

Publicado
2019-12-11
Edição
Seção
Metodologias ativas no Ensino de Geografia