EDUCAÇÃO PATRIMONIAL E O ENSINO DA GEOGRAFIA ESCOLAR: UMA EXPERIÊNCIA NA CIDADE DE BELÉM-PARÁ

  • Sabrina Forte e Silva Gonçalves
Palavras-chave: Patrimônio, educação geográfica, metodologia ativa

Resumo

O ensino de geografia na educação básica tem um papel importante e desafiador na formação do aluno, no sentido de prepará-lo para pensar e atuar no mundo de forma crítica, para o exercício da cidadania e da transformação da realidade que o cerca. Com o intuito de viabilizar o ensino da geografia escolar de maneira crítica e ativa, o presente trabalho expõe os resultados do Projeto “Do espaço real ao lugar ideal” desenvolvido em uma escola pública de ensino fundamental e médio na cidade de Belém (PA), nos anos de 2017 e 2018. O projeto aplicou um conjunto de metodologias ativas, tendo como foco principal, a educação patrimonial como estratégia para desenvolver o ensino de geografia na sala de aula, a fim de experimentar uma linguagem diferenciada que contribua para qualificação do processo de ensino – aprendizagem dos alunos, na educação básica. O uso de metodologias como: dinâmicas de integração; rodas de conversa; café-mundial; a participação dos alunos em Roteiros Geo-turísticos, projeto de extensão universitária do Grupo de Geografia do Turismo, da Universidade Federal do Pará – UFPA e a revitalização dos espaços internos da escola proporcionou experiências exitosas no que diz respeito a busca de uma prática docente comprometida com a aprendizagem dos alunos, assim como revelou a importância da educação patrimonial enquanto instrumento que fomenta o desenvolvimento da geografia escolar, voltada para cidadania.

Publicado
2019-12-11
Edição
Seção
Metodologias ativas no Ensino de Geografia