PROFESSORES E SEUS ARTESANATOS: APRENDENDO A TRANSFORMAR GEOGRAFIA EM JOGOS LÚDICOS

  • Ayrian Hugo Dos Santos Thédiga
Palavras-chave: Jogos Geográficos, GeoCurtas e Ofício

Resumo

O texto se caracteriza como um relato de experiência e tem como objetivo apresentar duas atividades que foram realizadas no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID (2018/2019) subárea geografia da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), com turmas do sétimo ano, de uma escola pública localizada em uma comunidade pesqueira do sul da Ilha de Santa Catarina. Para tanto, desenvolvemos uma proposta de jogos geográficos junto ao sétimo ano e o projeto GeoCurtas com turma contemplando todos os processos, desafios e experiências compartilhadas que enalteceram de grande valia o resultado. Utilizando o pensamento de Jorge Larrosa como base para a reflexão, percebemos nas atividades realizadas com o PIBID, tendo propósito de instigar, despertar e criar oportunidade relacionando jogos com a geografia, uma dinâmica que dá oportunidade e instiga outras formas de aprender. O ofício de professor, da possibilidade de se perceber como professor, se tornar e se fazer professor, é modo artesão de modelar as formas de ensinar, nutrir-se de conhecimento e inspira-se uns aos outros o sentido de aprender. Por fim, as aulas evidenciaram o potencial de transformar formato da aula, desfrutando em uma nova forma e descontraída de aprender conteúdos de geografia adaptados por docentes que estão expostos a novas experiencias confortando a vontade de fazer aquilo gosta e quer exercer o ofício de professor.

Publicado
2019-12-12
Edição
Seção
Metodologias ativas no Ensino de Geografia