PERCEPÇÃO DA SEGREGAÇÃO ESPACIAL POR ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II: ESTUDO DE CASO EM UNIDADES DE ENSINO MUNICIPAL SANTISTA

  • Simone Regina Baracat Bueno
  • Renata Barrocas
Palavras-chave: alagamentos urbanos, cidade de Santos, Ensino Fundamental

Resumo

Reportagens sobre a cidade de Santos, situam-na entre as primeiras no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano das cidades brasileiras com excelente qualidade de vida da população, segundo Portal G1 (2014). Santos, localizada na ilha de São Vicente, litoral Sul do estado de São Paulo, de clima tropical úmido e com densidade demográfica (porção insular) de 1.494,26 habitantes por quilometro quadrado, de acordo com IBGE (2010), nos meses de chuvas intensas, sofre com problemas de inundações e alagamentos além das ressacas marítimas, causando muitos inconvenientes e perigos, como citado no jornal Folha de S. Paulo (2014). Preocupando-se com situações que por vezes chegam a trazer perigos a população, a Prefeitura de Santos investiu em um projeto piloto no ano de 2017, matéria publicada no Portal G1 (2017), com intuito de minimizar tais efeitos, na região da Ponta da Praia, bairro na Orla da Praia, como indica Vazquez (2011), composta por população de elevado padrão de vida. Enquanto isso, em bairros menos favorecidos, como é o caso da região da Zona Noroeste, os investimentos públicos têm sido escassos. Nota-se, no início 2019, que os resultados das obras do projeto piloto, adotado no bairro da Ponta da Praia, tem surtido efeitos positivos e que a população daquela região já não sofre com os constantes alagamentos como publicado no Diário Oficial de Santos em 16 de agosto de 2018. Em contrapartida, os bairros localizados na Zona Noroeste, área mais afastadas da Orla da Praia e de classe média e baixa, como citado por Vazquez (2011), em momentos de chuvas, os alagamentos persistem por mais de um dia, conforme matéria publicada no jornal eletrônico, Diário do Litoral (2019). Ministrando aulas no Ensino Fundamental II da Rede Municipal santista, preocupamo-nos em compreender a visão do educando do Ensino Fundamental sobre o paradoxo que envolve o município em que vive. A fim de conhecer a visão dos alunos sobre tal aspecto de sua cidade, elaboramos um trabalho nas escolas da rede Municipal de Ensino de Santos, como objetivo de desenvolver no educando habilidades que o levem a refletir sobre a cidade em que vive e seus contrastes, alicerçado no ensino da Geografia. A metodologia é bibliográfica, documental e de pesquisa ação a partir da aplicação de sequências didáticas envolvendo a análise de matérias jornalísticas contendo ocorrências de enchentes na cidade de Santos, discutidas com suporte da Base Nacional Comum Curricular. Tal pesquisa encontra-se em fase inicial da análise qualitativa da sequência didática e questionário aplicados aos sujeitos da pesquisa, motivo pelo qual não apresentaremos os resultados obtidos.

Publicado
2019-12-12
Edição
Seção
Metodologias ativas no Ensino de Geografia