ESPACIALIDADE DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA ÁREA CENTRAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

  • Enio Serra
  • Emilio Reguera Rua
Palavras-chave: Políticas Públicas Educacionais, Espaço Urbano, Educação de Jovens e Adultos

Resumo

O presente trabalho deriva de pesquisa acadêmica em desenvolvimento que versa sobre a relação entre oferta e demanda de Educação de Jovens e Adultos (EJA) na cidade do Rio de Janeiro. Seu objetivo é analisar a dimensão espacial dessa relação ao verificar em que medida aspectos presentes no espaço urbano interferem tanto nas políticas de elevação da escolaridade de jovens e adultos trabalhadores como nas decisões destes em relação à conclusão da Educação Básica. A partir da análise de dados estatísticos sobre a dinâmica das matrículas na EJA ao longo da primeira metade da década de 2010, o trabalho particulariza a área central da cidade do Rio de Janeiro ao analisar suas características e como estas se articulam a questões ligadas tanto à oferta quanto à demanda por EJA. Para o levantamento da demanda, a metodologia da pesquisa prevê a elaboração de um indicador social com base nas informações do Censo Demográfico de 2010 sobre a população com 15 anos ou mais com Ensino Fundamental incompleto. Para a oferta, o levantamento é feito pelo Censo Escolar. A espacialidade da relação entre oferta e demanda é, então, analisada a partir do mapeamento dessa população e da localização de escolas municipais de oferecem a EJA. Como resultado, vê-se que a necessidade dos trabalhadores pouco escolarizados não é atendida pelo poder público municipal. Além disso, constata-se a intrínseca relação entre políticas urbanas e políticas educacionais e a importância da dimensão espacial na análise das políticas públicas voltadas para jovens e adultos trabalhadores.

Publicado
2019-12-13
Edição
Seção
EJA, Educação do Campo, Educação Indígena e Quilombola no Ensino de Geografia