ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA NO INSTITUTO CEARENSE DE EDUCAÇÃO DE SURDOS

  • Maria Michele da Costa Soares
  • Felipe Júlio Soares
Palavras-chave: Educação inclusiva, práticas pedagógicas, recursos imagéticos

Resumo

O presente artigo relata as experiências desenvolvidas no estágio curricular supervisionado no Instituto Cearense de Educação de Surdos (ICES) no segundo semestre de 2018. A experiência nos proporcionou momentos de aprendizagem e sensibilização quanto ao ensino inclusivo. As atividades do estágio foram divididas entre a observação das aulas, participação na discussão do conteúdo, construção de recursos didáticos para serem utilizados nas aulas, participação em outras atividades de mobilização política realizadas no instituto e aplicação de uma intervenção com uma das turmas acompanhadas, em que trabalhamos com o tema de geomorfologia, e, para isso, procedimentos metodológicos que aumentam a realidade, tais como uma maquete de curva de nível e um aplicativo do celular que projeta imagens sobre curvas de nível, com o objetivo de facilitar o ensino e instigar a curiosidade dos alunos. Entendemos que a vivência proporcionada pelo estágio, se faz de extrema importância no processo de formação, e em relação ao estágio curricular supervisionado II, que trabalha com o ensino diferenciado, isso se torna bem mais forte, pois temos a possibilidade de viver e conhecer diversas realidades no mundo da educação, nos sensibilizando e instigando a ter novos olhares para minorias que muitas vezes sofrem com o preconceito e estereótipos criados pela sociedade.

Publicado
2019-12-13
Edição
Seção
EJA, Educação do Campo, Educação Indígena e Quilombola no Ensino de Geografia