QUEM ESCREVE O LIVRO DIDÁTICO DE GEOGRAFIA?

  • Márcio Abondanza Vitiello
Palavras-chave: PNLD, função-autor, ensino

Resumo

Quem são os autores dos livros didáticos de Geografia distribuídos nas escolas públicas brasileiras na última década e meia? Quais suas formações? Que instituições realizaram seus estudos? Em que regiões do Brasil se concentram? Onde atuam profissionalmente? E em que medida pode-se afirmar que tais pessoas realmente escrevem seus livros? Para tentar responder essas e outras questões foram acessados currículos lattes disponíveis na plataforma do CNPq, dados disponíveis nas contracapas dos livros, além de blogs, sites, redes sociais da internet e contato direto com os autores via e-mail. Para discutir a função de autoralidade nos baseamos em Foucault, Maingueneau e Barthes, além de estudos de Bittencourt, Munakata, Apple e Choppin. A formação inicial dos autores, como se esperava, é majoritariamente na área de Geografia (84,5%). Quanto às instituições em que esses autores concluíram suas graduações, 58% a fizeram na Universidade de São Paulo, seguido pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/ SP), com 15% e Universidade Estadual de Londrina (UEL), 7%. Ao levar em consideração as regiões administrativas do IBGE, 80,5% está na região Sudeste; 17,2%, na Sul; 2,3%, na Nordeste e nenhum nas regiões Norte e CentroOeste do país. Há também um predomínio de autores masculinos (62%). Observando o vínculo institucional dos autores, 38% são professores em colégios da rede privada de ensino; 21% lecionam em universidades públicas, ao passo que 16% estão em faculdades privadas. Apenas 7% dos autores de livros didáticos de Geografia atuam na rede pública de ensino básico. Entendemos, no entanto, que a produção de uma obra como o livro didático é coletiva, na qual agem, além dos autores, diferentes atores sociais (educadores, pesquisadores, editores, revisores, professores, alunos, pais, legisladores, jornalistas etc.) e, principalmente, a própria linguagem e o escopo cultural que a define.

Publicado
2019-12-13
Edição
Seção
Políticas educacionais e o Ensino de Geografia