Caracterização morfométrica da bacia hidrográfica do Rio Ibirapuitã - RS

Autores

  • Daniel Junges Menezes Universidade Federal de Santa Maria
  • Romario Trentin Universidade Federal de Santa Maria
  • Luís Eduardo de Souza Robaina Universidade Federal de Santa Maria
  • Jonatas Giovani Silva Aimon Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1827

Palavras-chave:

Bacia Hidrográfica. Geotecnologias. Rio Ibirapuitã

Resumo

O presente artigo tem como objetivos abordar características morfométricas da Bacia Hidrográfica do rio Ibirapuitã. Este está localizado na porção oeste do estado do Rio Grande do Sul (Figura 1), sendo um dos principais tributários da margem esquerda do rio Ibicuí, maior e principal rio que compõem a chamada região hidrográfica do rio Uruguai (SEMA, 2010), que drena as porção oeste e norte do estado. A bacia hidrográfica do rio Ibirapuitã, do médio ao baixo curso, drena áreas do município de Alegrete. Foram analisados parâmetros hidrográficos e de relevo, considerando-se a área, hierarquia da rede fluvial, comprimento das drenagens hipsometria, declividade,. Estes parâmetros foram obtidos a partir de um MDE – Modelo Digital do Elevação da bacia hidrográfica, oriundo de imagens SRTM (Shuttle Radar Topographic Mission).

Biografia do Autor

Daniel Junges Menezes, Universidade Federal de Santa Maria

Universidade Federal de Santa Maria

Romario Trentin, Universidade Federal de Santa Maria

Universidade Federal de Santa Maria

Luís Eduardo de Souza Robaina, Universidade Federal de Santa Maria

Universidade Federal de Santa Maria

Jonatas Giovani Silva Aimon, Universidade Federal de Santa Maria

Universidade Federal de Santa Maria

Referências

BRASIL. Lei 12.608, de 12 de abril de 2012, disponível em http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 27 de maio, 2013.

CARVALHO, R.G. As bacias hidrográficas enquanto unidades de planejamento e zoneamento ambiental no Brasil. Presidente Prudente: Caderno Prudentino de Geografia, 2014.

CHRISTOFOLETTI, A. Modelagem de Sistemas Ambientais. São Paulo: Edgard Blücher, 1999.

ESRI - Enviromental Systems Research Institute. ArcGIS Desktop help. Redlands, 2012. Disponível em: http://resources.arcgis.com. Acesso em: jun/2015.

HASENACK, H.; WEBER, E. Base Cartográfica Vetorial Contínua do Rio Grande do Sul. Série Geoprocessamento, Porto Alegre: Centro de Ecologia da UFRGS, 2010. 1 DVD.

ROBAINA, L. E. S.; TRENTIN, R., BAZZAN, T., RECKZIEGEL, E. W., DE NARDIN, D.; VERDUM, R. Compartimentação Geomorfológica da Bacia Hidrográfica do Ibicuí, Rio Grande do Sul, Brasil: Proposta de Classificação. Revista Brasileira de Geomorfologia. v.11 n.2, 2010. p. 11 – 23

STRAHLER, A. N. Hypsometric– analysis of erosion al topography. Geological Society of America Bulletin, v.63, n.10, p.1117-1142, 1952.

TEODORO, V. L. I.; TEIXEIRA, D.; COSTA, D. J. L.; FULLER, B. B. O conceito de bacia hidrográfica e a importância da caracterização morfométrica para o entendimento da dinâmica ambiental local. Revista Uniara, v.20, p.137-157, 2007.

USGS. Global Digital Elevation Model. Land Processes Distributed Active Archive Center. Disponível em: https://lpdaac.usgs.gov. Acesso em: 10 de jul. 2015.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão