Utilização de SIG como subsídio a identificação de usos conflitantes em Áreas De Preservação Permanente: estudo de caso no município de Itabuna, Bahia

Autores

  • Kaique Brito Silva Universidade Estadual de Campinas
  • Vanessa Paim dos Santos Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Ana Luzia Campos Faculdade de Tecnologia e Ciências, Bahia
  • João Paulo Santos Vita Faculdade de Tecnologia e Ciências, Bahia
  • Gabriel Ganem Universidade Estadual de Santa Cruz

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1883

Palavras-chave:

Uso do solo. Preservação. Hidrografia. Sul da Bahia

Resumo

Desmatamentos em Áreas de Preservação Permanentes ao longo dos corpos hídricos surgem como processos denominados de uso conflitante. Enquanto a legislação nacional, por meio do Código Florestal Brasileiro, determina que tais áreas devam permanecer vegetadas, as alternâncias do uso do solo fazem com que diversos municípios apresentem défict de cobertura vegetal ciliar. O município de Itabuna, no sul da Bahia, está inserido nesse âmbito, considerando a paisagem atual ao longo de seu principal rio, o Cachoeira. O objetivo desse trabalho é demonstrar como a utilização das técnicas derivadas de um SIG funciona como subsídio a leitura de ambientes que envolvem os Uso e ocupação das Terras conflitantes as normas legais, especificamente dimensionando a ausência de vegetação ao longo das matas ciliares, permitindo compreender o cenário das áreas legais em um trecho do rio Cachoeira, estado da Bahia

Biografia do Autor

Kaique Brito Silva, Universidade Estadual de Campinas

Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

Vanessa Paim dos Santos, Universidade Estadual de Santa Cruz

Pós graduação em Meio Ambiente, Universidade Estadual de Santa Cruz, Bahia.

Ana Luzia Campos, Faculdade de Tecnologia e Ciências, Bahia

Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC, Bahia.

João Paulo Santos Vita, Faculdade de Tecnologia e Ciências, Bahia

Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC, Bahia.

Gabriel Ganem, Universidade Estadual de Santa Cruz

Pós-Graduação em Modelagem Computacional, Universidade Estadual de Santa Cruz, Bahia.

Referências

ANDRADE, L. M. S. ROMERO, M. A. B. A importância das áreas ambientalmente protegidas nas cidades. in: XI Encontro Nacional de pós-graduação e pesquisa em planejamento urbano e regional – ANPUR. Salvador/BA. 2005.

BRASIL. Resolução do CONAMA 303, de 20 de março de 2002, Dispõe sobre os parâmetros, Definições e limites de Áreas de Preservação Permanente. Brasília, DF: Congresso Nacional, 2002.

LOBÃO, D. E. SETENTA W. C. VALLE, R. R. Sistema Agrossilvicultural Cacaueiro - modelo de agricultura sustentável. Agrossilvicultura (Brasil), v. 1, n. 2, p. 163-173. 2004.

MASCARENHAS, L. M. A. FERREIRA, M. E. FERREIRA, L. G. Sensoriamento Remoto com instrumento de controle e proteção ambiental: análise da cobertura vegetal remanescente na bacia do rio Araguaia. Sociedade & Natureza, v. 21, n. 1, Uberlândia, 2009.

NOWATZKI, A. SANTOS, L.J.C. PAULA, E. V. Utilização do SIG na delimitação das áreas de preservação permanente (APP’s) na bacia do rio sagrado (Morretes/PR). Sociedade & Natureza, Uberlândia, 22 (1): 107-120. 2010.

PESC. Geoprocessamento aplicado ao planejamento da paisagem do mini-corredor ecológico PESC Boa Esperança. Ilhéus. Relatório de Pesquisa. 2012

PINHO, A. G. Estudo da qualidade das águas do Rio Cachoeira – Região Sul da Bahia. Dissertação de Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente. Universidade Estadual de Santa Cruz. Ilhéus - BA. 133p. 2001.

PIRES, J. S. R.; SANTOS. J. E. DEL PRETTE, M. E. A utilização do conceito de bacia hidrográfica para a conservação dos recursos naturais. In: SCHIAVETTI, A. CAMARGO, A. F. Conceitos de bacias hidrográficas: teorias e aplicações. Ilhéus-BA, Editus, 2002.

SILVA, K.B. GOMES R.L. , REGO, N.A.C. Social and Environmental hydrographics implications of the land use in the plain and coastal boards between Ilhéus and Olivença – BA. Journal of Hyperspectral Remote Sensing. Nº01, pag. 03-26. 2015.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Uso e ocupação das terras e legislação ambiental