Compartimentação do relevo baseada em parâmetros morfométricos: uma proposta de índice global de dissecação do relevo

Autores

  • Fabiano Érico Vieira de Souza Universidade Federal de Minas Gerais
  • Braúlio Magalhães Fonseca Universidade Federal de Minas Gerais
  • Fernanda Mara Coelho Pizani Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2085

Palavras-chave:

Compartimentação do relevo. Índices morfométricos. Geoprocessamento

Resumo

A contribuição do geoprocessamento para o desenvolvimento dos estudos geomorfológicos vem crescendo nos últimos anos, por possibilitar a análise de vários elementos ou fenômenos de forma integrada, pela relativa facilidade de aquisição e manipulação de dados morfométricos em ambiente de Sistema de Informações Geográficas. No entanto, ainda carece de padronização e metodologias flexíveis e, aplicáveis a diferentes regiões. Este trabalho objetiva apresentar uma metodologia de compartimentação do relevo baseada em índices morfométricos, portanto, possui um viés quantitativo. O recorte da área de estudo situa-se na região da Serra do Curral e suas imediações, tendo uma escala de análise regional. Foram calculados o Índice de Concentração da Rugosidade, o Índice de Hack e a Densidade de Drenagem para compor o Índice Global de Dissecação do Relevo. Os resultados obtidos foram comparados com o mapeamento geomorfológico da APA Sul RMBH, realizado pelo CPRM, com o intuito de avaliar a adequação do modelo gerado com um produto cartográfico oficial gerado a partir de dados de campo.

Biografia do Autor

Fabiano Érico Vieira de Souza, Universidade Federal de Minas Gerais

Departamento de Cartografia/IGC

Braúlio Magalhães Fonseca, Universidade Federal de Minas Gerais

Departamento de Cartografia/IGC, UFMG, Professor Adjunto.

Fernanda Mara Coelho Pizani, Universidade Federal de Minas Gerais

Departamento de Cartografia/IGC

Referências

AUGUSTIN, C. H. R. R. e SAMPAIO, T. V. M. Índice de Concentração da Rugosidade: Uma nova proposta metodológica para o mapeamento e quantificação da dissecação do relevo como subsídio a cartografia geomorfológica. Revista Brasileira de Geomorfologia, v-15, n°1, 2014.

BEZERRA, D. P.; AUGUSTIN, C. H. R. R. Quadrilátero Ferrífero - MG : fatores controladores do relevo. Dissertação (mestrado), UFMG, 2014. 148 f.

CHORLEY, R. J. Geomorphology and general systems theory. USGS, Professional paper 500 B, 1962. (tradução em Notícia Geomorfológica, v. 22, n. 23, 1971. p. 3-22)

CHORLEY, R. J.; KENNEDY, B. A. Physical geography: a systems approach. Englewood Cliffs: Prentice Hall, 1971.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. São Paulo: Edgard Blücher, 1980, 186p.

ETCHEBEHERE, M. L. C.; SAAD, A. R.; PERINOTTO, J.A.J.; FULFARO, V.J. Aplicação do Índice "Relação Declividade-Extensão - RDE" na Bacia do Rio do Peixei (SP) para detecção de deformações neotectônicas, Revista do Instituto de Geociências da USP - Série Científica, v.4, n.2, p. 43-56, 2004.

ETCHEBEHERE, M. L. C.; SAAD, A. R.; SANTONI, G.; CASADO, F. C.; FULFARO, V. J. Detecção de prováveis deformações neotectônicas no vale do rio do Peixe, Região Ocidental Paulista, mediante aplicação de índices RDE (Relação Declividade-Extensão) em segmentos de drenagem. Revista UNESP – Geociências, v.25, n. 3, p.271-287, 2006.

EVANS. I. S. General geomorphometry, derivates of altitude, and descriptive statistics. 18-90, 1972. in: CHORLEY, R.J. Spatial Analysis in Geomorphology. London, British Geomorphological Research Group, 1972. 391 p.

EVANS, Ian S. Geomorphometry and landform mapping: What is a landform?. Geomorphology, v. 137, n. 1, p. 94-106, 2012.

FLORENZANO, T.G. (org.). Geomorfologia: conceitos e tecnologias atuais. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 320p.

FONSECA, B. M. O uso do sistema de informações geográficas na análise morfométrica e morfológica de bacias de drenagem na Serra do Espinhaço Meridional-MG. Dissertação de Mestrado. IGC – UFMG. Belo Horizonte. 2010. 93 p.

FONSECA, B. M.; AUGUSTIN, C.H.R.R. Use of GIS to calculate Hack Index as a basis for comparative geomorphologic analysis between two drainage basins: a case study from SE-Brazil. In: International Geographic Union Regional Geographic Conference-UGI. 2011. p. 1-12.

GANAS, A.; PAVLIDES, S.; KARASTATHIS, V. DEM-based morphometry of range front escarpments in Attica central Greece, and its relation to fault slip rates. Geomorphology. Elservier, v.65, p. 301-319, 2005.

HACK, J. T. Stream-profile analysis and stream-gradient index. Journal of Research of the United States Geological Survey, v. 1, n. 4, p. 421-429, 1973.

HIRUMA, Silvio Takashi; PONÇANO, Waldir Lopes. Densidade de drenagem e sua relação com fatores geomorfopedológicos na área do alto Rio Pardo-SP e MG. Revista do Instituto Geológico, v. 15, n. 1/2, 1994.

HORTON, R.E. Erosional development of streams and their drainage basins: hydrophysical approach to quantitative morphology. Bulletin of the Geological Society of America Bull. n.56.1945.

IBGE. Manual técnico de geomorfologia. Manuais técnicos em geociências n. 5. Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais. – 2. ed. - Rio de Janeiro : IBGE, 2009. 182 p.

KELLER, E.A. Adjustment of drainage to bedrock in regions of contrasting tectonic framework [abs.]: Geological Society of America Abstracts with Programs, v. 9, no. 7, 1977. p. 1046.

KELLER, E.A., and Rockwell, T.K.Tectonic geomorphology, Quaternary chronology, and paleoseismicity, in COSTA, J.E., AND FLEISHER, P.l, eds., Developments and applications of geomorphology: New York, 1984. Springer-Verlag, p. 203-239.

KIRKBY, M. J. Modelling some influences of soil erosion, landslides and valley gradient on drainage density and hollow development. Geomorphological models: theoretical and empirical aspects/Frank Ahnert (editor), 1987.

LOPES, M. R. S. Avaliação das taxas de recuo diferencial do divisos Doce-São Francisco na borda leste do Quadrilátero Ferrífero:aplicação de isótopos cosmogênicos, 2008. Projeto de Tese (Doutorado em Geografia) Departamento de Geografia,Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

MAYER, L., WENTWORTH, C.M. Geomorphic differences east and west of the Stafford fault system, northeastern Virginia [abs.]: Southeastern Section, Geological Society of America, 1983. v. 15, no. 2, p. 56.

MCKEOWN, F. A.; JONES:CECIL, M.; ASKEW, B. L.; McGRATH, M. B. Analysis of stream-profile data and inferred tectonic activity, Eastern Ozark Mountains region. U. S. Geological Survey Bulletin, n. 1807, 1988.

MONTGOMERY, D. R.; DIETRICH, W. E. Source areas, drainage density, and channel initiation. Water Resources Research, v. 25, n. 8, p. 1907-1918, 1989.

OGUCHI, T. Drainage density and relative relief in humid steep mountains with frequent slope failure. Earth Surface Processes and Landforms, v. 22, n. 2, p. 107-120, 1997.

PIKE, R. J.; EVANS, I. S.; HENGL, T. Geomorphometry: a brief guide. Developments in Soil Science, v. 33, p. 3-30, 2009.

Projeto APA Sul RMBH: Geologia estrutural / Orivaldo F. Baltazar, Márcia Zuchetti – Belo Horizonte SEMAD/CPRM, 2005.

Projeto APA Sul RMBH: Geomorfologia / Medina A. I. M; Dantas M. E.; Saadi A. – Belo Horizonte SEMAD/CPRM, 2005.

RODRIGUES, C. Geomorfologia aplicada: avaliação de experiências e de instrumentos de planejamento territorial e ambiental brasileiros. Universidade de São Paulo, 1997. 279 p.

RUSZKICZAY-RUDIGER, Z. Tectonic and climatic forcing in Quaternary landscape evolution in the central Pannonian Basin:A quantitative geomorphological geochronological and structural analysis.2007. 149p. Tese (Doutorado em Ciências Naturais) Vrije University, Amsterdã, 2007.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura. Zoneamento da disponibilidade e da qualidade hídrica. Plano de gestão e gerenciamento da bacia do rio Araranguá. Florianópolis : SDM – Instituto Cepa, v. 3, 62p, 1997.

SEEBER, L., GORNITZ, V.M. River profiles along the Himalayan arc as indicators of active tectonics: Tectonophysics, 1983. v. 92, p. 335-367.

SILVA, D. G.; MELO, R. F. T.; BARROS, A. C C.. A influência da densidade de drenagem na interpretação da evolução geomorfológica do complexo de tanques do município de Brejo da Madre de Deus–Pernambuco, nordeste do Brasil. Revista de Geografia (Recife), v. 26, n. 3, p. 294-306, 2010.

STRAHLER, A,N. Dynamic basis of geomorphology. Bull. Geol. Soc. Am., v.63. New York, 1952. 188 p.

STRAHLER, Arthur N. Quantitative analysis of watershed geomorphology. Eos, Transactions American Geophysical Union, v. 38, n. 6, p. 913-920, 1957.

TROIANI, F. & DELLA SETA, M. The use of the Stream Length–Gradient index in morphotectonic analysis of small catchments: A case study from Central Italy. Geomorphology, 2008.

TUCKER, G. E.; Catani, F.; Rinaldo, A. Brás, R. L., Statistical analysis of drainage density from digital terrain data. Geomorphology. Elservier, v.36, p.187-202, 2001.

VALERIANO, M. M.; MORAES, J. F. L. Extração de rede de drenagem e divisores por processamento digital de dados topográficos. Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 10, Foz do Iguaçu, 2001. Anais...São José dos Campos:INPE, 2001.

WALCOTT, R. C.; SUMMERFIELD, M. A. Scale dependence of hypsometric integrals: an analysis of southeast African basins. Geomorphology. p.174-186, 2007.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física