Aporte de sedimentos no rio Teles Pires: ambiente de confluência entre o rio Matrinxã no município de Nova Canaã do Norte/Mato Grosso

Autores

  • Bruna da Cruz Andrade Universidade do Estado do Mato Grosso
  • Claudete Silveira Damas Machado Universidade do Estado do Mato Grosso
  • Luana Rodrigues Carvalho Universidade do Estado do Mato Grosso
  • Leila Nalis Paiva da Silva Andrade Universidade do Estado do Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2132

Palavras-chave:

Aporte de sedimentos. Ambiente de confluência. Rio Teles Pires

Resumo

O rio Matrinxã está localizado 10° 59’31.4” sul e 55° 50’ 29.96” oeste no município de Nova Canaã do Norte/Mato Grosso. O presente trabalho teve como objetivo quantificar a composição granulométrica dos sedimentos de fundo no ambiente de confluência com o rio Teles Pires. A metodologia constituiu em levantamento bibliográfico; coleta de sedimentos e análise em laboratório. Foram utilizados para mensurar as variáveis hidrodinâmicas: ecobatímetro (profundidade), molinete fluviométrico (velocidade), trena (largura do afluente) e a ferramenta software do google earth para verificar a largura do rio Teles Pires. Para coleta de sedimentos de fundo foi utilizado a draga (van ven). Em laboratório foi usado o método de pipetagem e peneiramento para caracterizar porcentagens de areia, argila e silte das amostras coletadas. Nos pontos monitorados foram registradas as percentagens de areia (média e fina), argila e silte. O estudo mostrou a caracterização dos sedimentos e sua distribuição no ambiente fluvial. 

Biografia do Autor

Bruna da Cruz Andrade, Universidade do Estado do Mato Grosso

Acadêmica do Curso de Licenciatura em Geografia da Universidade do Estado de Mato Grosso/Campus de Colider. Bolsista de Iniciação Científica/FAPEMAT

Claudete Silveira Damas Machado, Universidade do Estado do Mato Grosso

Acadêmica do Curso de Licenciatura em Geografia da Universidade do Estado de Mato Grosso/Campus de Colider. Bolsista de Iniciação a Docência/PIBID

Luana Rodrigues Carvalho, Universidade do Estado do Mato Grosso

Acadêmica do Curso de Licenciatura em Geografia da Universidade do Estado de Mato Grosso/Campus de Colider. Bolsista de Iniciação Científica/PROBIC/UNEMAT

Leila Nalis Paiva da Silva Andrade, Universidade do Estado do Mato Grosso

Doutoranda em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos. Professora Assistente do Curso de Geografia da Universidade do Estado de Mato Grosso. Coordenadora do Laboratório de Pesquisa e Ensino em Geomorfologia Fluvial “Antonio Christofoletti”. Coordenadora de área Geografia/Colider do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES).

Referências

BARTELLI, GUSTAVO. Estudo do Transporte de Sedimentos em Suspensão na Bacia Hidrográfica do Arroio Garapía – Maquiné- RS. Univates, 2012. Disponivel em: < https://www.univates.br/bdu/bitstream/10737/311/1/GustavoBartelli.pdf> acesso em: 09 março 2017

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. São Paulo: Blucher, 1980 2ª edição.

CUNHA, S. B. “Geomorfologia Fluvial”. In: GUERRA, A. J. T; CUNHA, S. B. da (orgs). Geomorfologia uma atualização de base e conceitos. Rio de Janeiro: Bertrand, 2013.

EMBRAPA, Manual de Métodos de Análise de Solos. Rio de Janeiro: Embrapa solos, 1997 2ª edição.

EPE – Empresa de Pesquisa Energética. Avaliação Ambiental Integrada da Bacia Hidrográfica do Rio Teles Pires. TPI-A-62-000.002-RE-R0, EPE 2008 p.5. Disponível em: < http://www.epe.gov.br/MeioAmbiente/Documents/AAI%20Teles%20Pires/TPI%20Sumario%20executivo%20Caracterizacao.pdf > Acesso em: 06 março 2017

EPE – Empresa de Pesquisa Energética. Avaliação Ambiental Integrada da Bacia Hidrográfica do Rio Teles Pires. Relatório final dezembro 2009. Disponível em: < http://www.epe.gov.br/MeioAmbiente/Documents/AAI%20Teles%20Pires/AAI%20Teles%20Pires%20-%20Relat%C3%B3rio%20Final%20-%20Sum%C3%A1rio%20Executivo.pdf > Acesso em: 09 março 2017

FEITOSA, G. D. Dos S.; SANTOS, G. B dos. Identificação de geoformas deposicionais em ambiente de confluência dos rios Branco e Grande, região oeste da Bahia: por meio de cálculo de superfície de tendência. Conference: I Congresso Internacional de Hidrossedimentologia. Porto Alegre, Volume: Anais. 2015. Disponível em: : https://www.researchgate.net/publication/309348058. Acesso em: 14 de Fevereiro de 2017.

QUARESMA, Sílvia Jurema. BONI, Valdete. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC Vol. 2 nº 1 janeiro-julho/2005, p. 68-80. Disponível em: < https://moodle.ufsc.br/pluginfile.php/1255603/mod_resource/content/0/Aprendendo_a_entrevistar.pdf> acesso em: 08 março 2017.

SOUSA, C. A. de.(org) Bacia hidrográfica do rio Paraguai-MT: dinâmica das águas, uso e ocupação e degradação ambiental. São Carlos: Editora Cubo, 2012.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Bacias Hidrográficas e Recursos Hídricos: Análise, Planejamento e Gestão