Modelagem hidrológica chuva-vazão aplicada ao estudo de chuvas intensas na bacia hidrográfica Semiárida do Rio Pesqueiro (Ceará – Brasil)

Autores

  • Francisco Rodrigo Cunha de Sousa Universidade Estadual Vale do Acaraú
  • Luis Henrique Magalhães Costa Universidade Estadual Vale do Acaraú
  • Davis Pereira de Paula Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2189

Palavras-chave:

Eventos pluviométricos extremos. Modelo hidrológico. Multimodelo HEC-HMS. Planejamento ambiental. Bacia hidrográfica

Resumo

Este estudo, tem por objetivo analisar o comportamento hidrológico da bacia hidrográfica do rio Pesqueiro, localizada no estado do Ceará, diante de eventos extremos de precipitação pluviométrica, através da simulação da vazão no multimodelo hidrológico HEC-HMS. Parte da concepção de que a simulação da vazão é útil para a previsão de impactos ambientais, possibilitando tomar decisões em tempo hábil e contribuir com o planejamento ambiental de bacias hidrográficas (TUCCI, 2001; CHRISTOFOLETTI, 1999), especialmente, aquelas inseridas no contexto semiárido. Foram desenvolvidas análises estatísticas dos dados pluviométricos através de cálculos de medidas de tendência central e dispersão, para fomentar análises probabilísticas capazes de calibrar a equação IDF de eventos extremos de precipitação pluviométrica, que por sua vez deu bases à calibração do HEC-HMS a partir de dados empíricos coletados historicamente em posto pluviométrico. Os resultados permitiram levantar importantes informações sobre a hidrologia da bacia hidrográfica em questão, apesar da escassez de informações mais detalhadas.

Biografia do Autor

Francisco Rodrigo Cunha de Sousa, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Mestrado Acadêmico em Geografia, Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Luis Henrique Magalhães Costa, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Curso de Engenharia Civil, Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Davis Pereira de Paula, Universidade Estadual do Ceará

Centro de Ciência e Tecnologia, Universidade Estadual do Ceará, PROPGEO/UECE, MAG/UVA.

Referências

AZEVEDO, P. V; SILVA, B. B; RODRIGUES, M. F. Previsão Estatística das Chuvas de Outono no Estado do Ceará. Rev. Bras. de Meteor., v. 13, no. 1, São Paulo, 1988, p. 19-30.

BABA, R. K; VAZ, M. S. M. G; COSTA, J. Correção de dados agrometeorológicos utilizando métodos estatísticos. Rev. Bras. de Meteor., v. 29, no. 4, São Paulo, 2014. p. 515-526.

CAMPOS, J. N. Lições em modelos e simulação hidrológica. Fortaleza: Expressão gráfica, 2009.

CHRISTOFOLETTI, Antônio. Modelagem de sistemas ambientais. São Paulo: Blucher, 1999.

COLLISCHONN, W; TASSI, R. Introduzindo hidrologia. IPH-UFRGS, 2010.

CETESB. Departamento de Água e Energia Elétrica-Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Drenagem urbana: Manual de projeto. São Paulo: DAEECETESB, 1980.

FREITAS, M. A. S. Modelos diários chuva-vazão em bacias do semi-árido brasileiro. Revista Tecnologia, n. 1, dez, 1994. p. 31-38.

FUNCEME – Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos. Postos Pluviométricos. Disponível em: <http://www.funceme.br>. Acesso em: 05 de janeiro de 2017.

NAGHETTINI, M; PINTO, E. J. A. Hidrologia Estatística. Serviço Geológico do Brasil – CPRM, Agosto 2007.

TUCCI, C.E.M. Hidrologia: ciência e aplicação. Porto Alegre: UFRGS/Edusp/ABRH, 2001.

US ARMY CORPS OF ENGINEERS - HYDROLOGIC ENGINEERING CENTER. HEC-HMS, Hydrologics Modeling System, User’s Manual, Version 4.2. Califórnia: Agosto de 2016.

VILLELA, S. M.; MATTOS, A. Hidrologia aplicada. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil,1975.

Agradecimentos

Ao Mestrado Acadêmico em Geografia da Universidade Estadual Vale do Acaraú, por todo o apoio; e à CAPES, pela concessão da bolsa durante o período de estudos.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geotecnologias e Modelagem Espacial em Geografia Física