Evolução espacial de feições erosivas urbanas no noroeste do Paraná: estudo de caso do município de Santa Cruz de Monte Castelo

Autores

  • Raquel Mendes Rodrigues Universidade Federal do Paraná
  • Luciano Mattana Carollo da Luz Universidade Federal do Paraná
  • Caroline Gonçalvez Mangueira Universidade Federal do Paraná
  • Leonardo José Cordeiro Santos Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2341

Palavras-chave:

Impacto ambiental. Feição erosiva planejamento

Resumo

Os processos erosivos hídricos lineares causam um grande impacto ambiental e sua gênese está ligada a condicionantes naturais sendo potencializadas pela ação antrópica. Podem ocorrer tanto no meio rural quanto no meio urbano, sendo nesse último caso de grande significância, pois podem colocar em risco a vida da população e dos equipamentos urbanos. Nessas circunstâncias, a compreensão das suas causas e da sua interação com a área urbana pode auxiliar em futuros projetosurbanos e no combate e controle das feições erosivas. Um método possivel é o cadastramento dessas erosões, permitindo a análise do seu comportamento, podendo estimar sua evolução, sua dinâmica e seus processos, auxiliando no planejamento ambiental. A feição erosiva localizada próximo a área urbana do município de Santa Cruz de Monte Castelo, foi analisada em diferentes períodos por meio de imagens de satélites constatando-se o seu aumento em direção a área urbana.

Biografia do Autor

Raquel Mendes Rodrigues, Universidade Federal do Paraná

Geografia, Universidade Federal do Paraná.

Luciano Mattana Carollo da Luz, Universidade Federal do Paraná

Geografia, Universidade Federal do Paraná.

Caroline Gonçalvez Mangueira, Universidade Federal do Paraná

Geografia, Universidade Federal do Paraná.

Leonardo José Cordeiro Santos, Universidade Federal do Paraná

Geografia, Universidade Federal do Paraná.

Referências

CENTRO DE TECNOLOGIAS AMBIENTAIS; LABORATÓRIO DE RISCOS AMBIENTAIS. Diagnóstico e proposição de diretrizes para a recuperação dos processos erosivos no município de Mirassol, SP. São Paulo: Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, 2010. Relatório técnico n.19414-301-57/208.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Cadastramento de pontos de erosão e inundação no Estado de São Paulo. São Paulo: IPT, 2012. Relatório técnico n. 131.057-205.

IWASA, O.Y; FENDRICH, R. Controle da Erosão Urbana. In: OLIVEIRA, A.M.S; BRITO, S.N.A de (Eds.). Geologia de engenharia. ABGE, Brasil, 1998, p.271-281.

JORGE, M.C.O. Geomorfologia Urbana: conceitos, metodologias e teorias. In: GUERRA, A.J.T. (Org). Geomorfologia Urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, Brasil, 2011, p.117-146.

OLIVEIRA, M. A. T. Processos erosivos e preservação de áreas de risco de erosão por voçorocas. In: GUERRA, A. J; SILVA, A. S; BOTELHO, R. G. M. Erosão e Conservação dos Solos - Conceitos, Temas e Aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999 , p. 56-99.

SOPCHAKI, C. H.; SANTOS, L. J. C. Metodologia de cadastro de erosões na Bacia do Rio do Meio, Pinhais-PR. Geografia. Ensino & Pesquisa, Santa Maria, v. 16, n. 2, 2012, p. 147-161.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física e Desastres Naturais