Influência do fenômeno ENOS nas ondas de frio e episódios de geadas em Santa Catarina

Autores

  • Maikon Passos Amilton Alves Universidade Federal de Santa Catarina
  • Rosandro Boligon Minuzzi Universidade Federal de Santa Catarina
  • Rafael Brito Silveira Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2419

Palavras-chave:

Ondas de frio. Geada. ENOS. Santa Catarina

Resumo

Este trabalho avaliou a relação entre o ENOS, às ondas de frio e as ocorrências de geadas em Santa Catarina durante o trimestre invernal. Considerou-se onda de frio o evento em que a temperatura média diária do ar na superfície estava pelo menos duas vezes o desvio padrão abaixo do valor médio da série, naquele dia, durante dois dias consecutivos ou mais. O ENOS foi submetido à análise estatística através dos testes de significância para as médias (test t Student) e variâncias (teste F), com um nível de significância de α = 5%. Constatou-se que o ENOS apresenta relação nas ocorrências de ondas de frio (Itapiranga e Lages) e com os episódios de geada (Itajaí, Chapecó e Ituporanga) em Santa Catarina.

Biografia do Autor

Maikon Passos Amilton Alves, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando do Progama de pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Rosandro Boligon Minuzzi, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor Doutor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Centro de Ciências Agrárias.

Rafael Brito Silveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando do Progama de pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Referências

AGUIAR, D. MENDONÇA, M. (2004). Climatologia das geadas em Santa Catarina. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE DESASTRES NATURAIS, 1., Florianópolis: GEDN/UFSC,2004. p. 762-773 (CD-ROM).

ALVES, M.P.A. Ondas de frio invernais em Santa Catarina e suas relações com as variabilidades climáticas de baixa frequência. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Departamento de Geociências, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 158 p.; 2016.

BARROS, V. R., A. M. Grimm, and M. E. Doyle.Relationship between temperature and circulation in southern South America and its influence from El Niño and La Niña events. J. Meteor. Soc. Japan, 80, 33–44,2002.

BOYLE, J. S. (1986). Comparison of the synoptic conditions in midlatitudes accompanying cold surges over eastern Asia for the months of December 1974 and 1978. Part I: Monthly mean fields and individual events. Monthly Weather Review, n. 114 p. 903–930.

CASTRO, A.L.C.; CALHEIROS, L.B.; CUNHA, M.I.R.; BRINGEL, M.L.N.C. (1995). Manual de desastres naturais. Ministério do Planejamento e Orçamento, Secretaria Especial - Defesa Civil. Novembro, v. 1.

CPTEC/INPE – Centro de Previsão e Estudos Climáticos. Disponível em:< http://enos.cptec.inpe.br/> Acesso em: 23 dez 2014.

EPAGRI /CIRAM– EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA E EXTENSÃO RURAL DE SANTA CATARINA S.A / CENTRO DE INFORMAÇÕES DE RECURSOS AMBIENTAIS E DE HIDROMETEOROLOGIA DE SANTA CATARINA. Dados estações meteorológicas. Florianópolis, 2014.

ESCOBAR. G. (2007). Padrões Sinóticos Associados a Ondas de Frio na Cidade de São Paulo. Revista Brasileira de Meteorologia, v.22, n.2, 241-254.

FIRPO, M.A.F. (2008). Climatologia das ondas de frio e calor para o Rio Grande do Sul e sua Relação com o El Niño e La Niña. Dissertação apresentada de Pós-Graduação da Faculdade e Meteorologia da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, 120p.

FIRPO, M.A.F.; SANSIGOLO, C.A.E; ASSIS, S.V. Climatologia e variabilidade sazonal do número de ondas de calor e de frio no Rio Grande do Sul associadas ao ENOS. Revista Brasileira de Meteorologia, São Paulo, v.27, p.95-106, 2012.

GOLDEN GATE WEATHER SERVICES. ENSO Years based on Oceanic Niño Index (ONI). Disponível em:< http://ggweather.com/enso/oni.htm> Acesso em: 05 AGO. 2015.

GRIMM, A. M.; FERRAZ, S. E. T.; GOMES, J. Precipitation anomalies in Southern Brazil associated with El Niño and La Niña events. In: J. Climate, V.11, p. 2863 – 2880, 1998.

GRIMM, A. M. (2009). Variabilidade Interanual do Clima no Brasil. In: CAVALCANTI, I.F.A. et al (org). Tempo e Clima no Brasil. São Paulo: Oficina de texto.

GRIMM, A.M.; TOGATLIAN, I.M. Relação entre eventos El Nino /La Nina e frequência de extremos frios e quentes de temperatura no Cone Sul da America do Sul. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE METEOROLOGIA, 12., 2002, Foz do Iguaçu. Anais do... Foz do Iguaçu: SBMET, 2002. CD-ROM.

Hammer, Ø, Harper, DAT, Ryan, P.D. (2001). PASSADO: Estatísticas Paleontológicos pacote de software para educação e análise de dados. Palaeontologia Electronica 4 (1):. 9pp. Disponível em:<http://palaeo-electronica.org/2001_1/past/issue1_01.htm> Acesso em: 05 jul. 2015.

KONRAD, C. E. (1996). Relationships between the intensity of cold-air outbreaks and the evolution of synoptic and planetary-scale features over North America. Monthly Weather Review, n. 124 p. 1067–1083.

MARENGO, J. A.; OLIVEIRA, G. S. Impactos do fenômeno La Niña no tempo e clima do Brasil: desenvolvimento e intensificação do La Niña 1998/1999. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE METEOROLOGIA, 10, 1998, Brasília. Anais... Brasília, 1998. CD-ROM.

MENDONÇA, M.; ROMERO, H. (2012). ondas de frio, índices de oscilação e impactos socioambientais das variabilidades climáticas de baixa frequência na América do sul. Edição Especial – “Climatologia Geográfica”, Revista Acta Geográfica (UFRR), v.2, p.185 – 185.

MINUZZI, B.M. (2010). Ocorrências de geada no estado de Santa Catarina. In: II SIMPÓSIO BRASILEIRO DE AGROPECUÁRIA SUSTENTAVÉL, 23 a 25 de Setembro de 2010 – Universidade Federal de Viçosa – Viçosa/MG.

MONTEIRO, M. (2001). Caracterização climática do estado de Santa Catarina: uma abordagem dos principais sistemas atmosféricos que atuam durante o ano. Geosul. Revista do Departamento de Geociências da UFSC, Florianópolis, v. 16, nº 31, p 69-78.

THOMÉ, V. M. R. et al. (1999). Zoneamento agroecológico e socioeconômico do Estado de Santa Catarina. Florianópolis: Epagri, CD-ROM.

TRENBERTH, K. E. The definition of El Niño, Bulletin of the American Meteorological Society, v.78, n.12, p. 2771-2777, 1997.

WALSH, J. E.; PHILLIPS, A. S.; PORTIS, D. H.; CHAPMAN, W. L. Extreme cold outbreaks in the United States and Europe, 1948–99. Journal of Climate, n. 14, p. 2642–2658, 2001.

VAVRUS, S.; WALSH, J. E.; CHAPMAN, W. L.; PORTIS, D. (2006). The behavior of extreme cold air outbreaks under greenhouse warming. Int. J. Climatol., n. 26, p. 1133–1147.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Climatologia em diferentes níveis escalares: mudanças e variabilidades