ATUAÇÃO DOS SISTEMAS DE FORÇAMENTO NOS SISTEMAS TERRESTRES A PARTIR DA AÇÃO ANTRÓPICA

Autores

  • Estevão Botura Stefanuto Universidade Estadual Paulista
  • Cenira Maria Lupinacci Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2505

Palavras-chave:

Geomorfologia. Antropogeomorfologia. Sistemas de forçamento. Sistemas complexos

Resumo

A modificação da superfície terrestre se intensificou nas últimas décadas, fazendo com que se suscitasse a designação de um novo período geológico intitulado de Antropoceno. Com isso, a busca dos sistemas terrestre por uma auto-organização foi alterada mediante a atuação de sistemas de forçamento, responsáveis por tornarem complexas as respostas de um determinado sistema. Visando dialogar com tal complexidade, buscar-se-á com este artigo apresentar os dados de uso e ocupação da terra, assim como os geomorfológicos de dois recortes espaciais do setor cuestiforme de Analândia (SP), nos quais algumas drenagens e uma feição linear do tipo voçoroca apresentaramrespostas não lineares mediante a atuação de sistemas de forçamento. Assim, através de tal análise, foi possível verificar que a atuação de sistemas de forçamento de origem antrópica, faz com que alguns conjuntos apresentem dificuldades em atingir sua auto-organização, e passem assim a emitir respostas não lineares e de difícil previsibilidade. 

Biografia do Autor

Estevão Botura Stefanuto, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Planejamento Territorial e Geoprocessamento (DEPLAN), UNESP – Rio Claro.

Cenira Maria Lupinacci, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Planejamento Territorial e Geoprocessamento (DEPLAN), UNESP – Rio Claro.

Referências

AYRES, Q. C. La Erosión del Suelo y su Control. Barcelona: Ediciones Omega S. A., 1960.

CASSETI, V. Ambiente e apropriação do relevo. São Paulo: Contexto, 1991.

CERON, A. O.; DINIZ, J. A. F. O uso das fotografias aéreas na identificação das formas de utilização agrícola da terra. Revista Brasileira de Geografia. n. 2, v. 28, p. 161-173, 1966.

CHAUI, M. Convite à Filosofia.São Paulo: Ática, 1994.

CHRISTOFOLETTI, A.; QUEIROZ NETO J. P. Estudos Geomorfológicos a respeito da Serra de Santana, SP. Boletim Paulista de Geografia. n. 38, p. 3-20, jun/1961.

ELLIS, E. C. Anthropogenic transformation of the terrestrial biosphere. The Royal Society. n. 369, 2011, p. 1010-1035.

HOBSBAWM, E. J. A Era das Revoluções: Europa 1789-1848. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Manual Técnico de Uso da Terra.Rio de Janeiro, 2013.

MURRAY, A. B et. al. Geomorphology, complexity, and the emerging science of the Earth’s suface. Geomorphology. n. 103, 2009. p. 496-505.

NIR, D. Man, a geomorphological agent: an introduction to anthropic geomorphology.Jerusalem: Katem Pub, House, 1983.

PELOGGIA, A. O Homem e o Ambiente Geológico: Geologia, Sociedade e Ocupação Urbana no Município de São Paulo. São Paulo: Xamã, 1998.

PINTON, L. de G. A Antropogeomorfologia na bacia do Córrego do Cavalheiro – Analândia/SP: Uma avaliação da dinâmica de uso da terra e sua adequabilidade a legislação ambiental e a capacidade de uso. 2011. 102 f. Trabalho de Conclusão de Curso - Instituto de Geociência e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2011.

SALOMÃO, F. X. T. Controle e prevenção dos processos erosivos. In: GUERRA, A. J. T.; SILVA, A. S.; BOTELHO, R. G. M. (Org.). Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. 3 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007. p. 229 e 265.

SOUZA, T. de A. de.; OLIVEIRA, R. C. de. Avaliação da potencialidade de imagens tridimensionais em meio digital para o mapeamento geomorfológico. Revista Geonorte. v. 2, N.4, p.1348-1355, 2012.

STEFANUTO, E. B.; CUNHA, C. M. L. Morfocaracterísticas na faixa de transição Cuesta - Depressão Periférica: Estudo de caso de Analândia (SP). Revista Equador (UFPI). v. 4, n. 3, 2015a.

STEFANUTO, E. B.; CUNHA, C. M. L. Análise das feições estruturais lineares da Serra do Cuscuzeiro em Analândia (SP). In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP. 27. 2015b. Anais...

STEFANUTO, E. B.; LUPINACCI, C. M.A influência antropogênica no relevo do setor cuestiforme de Analândia (SP). In: SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOMORFOLOGIA. 11. 2016, Maringá. Anais...

TREWARTHA, G. T. Geografia da população: padrão mundial. Tradução de Veneranda Barreto Hellmeister. São Paulo: Atlas, 1974.

ZALASIEWICZ, J et. al. The geological cycle of plastics and their use as a stratigraphic indicator of the Anthropocene. Anthropocene.n. 13, 2016. p.4-17.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Sistemas Geomorfológicos: Estrutura, Dinâmicas e Processos