Transformações na morfologia fluvial decorrentes do rompimento da Barragem de Fundão: estudos preliminares

Autores

  • Bárbara Thaís Ávila de Oliveira Geógrafa
  • Laís Carneiro Mendes Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Miguel Fernandes Felippe Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Bruna Mendes Silva Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2543

Palavras-chave:

Tecnógeno. Fotointerpretação. Feições fluviais. Barragem de Fundão

Resumo

O rompimento da barragem de Fundão, em Mariana-MG, promoveu alterações geomorfológicas sem precedentes na história brasileira. O fluxo de rejeitos percorreu o corredor hídrico desde o córrego do Fundão até o Oceano Atlântico. Obviamente, o perfil fluvial não foi afetado homogeneamente, pois a energia do sistema e a dissipação dos sedimentos promove ambientes preferenciais para o acúmulo do material. Todavia, sabe-se que o trecho até a UHE Risoleta Neves foi o mais afetado pelas transformações das morfologias fluviais originais. Esse trabalho mapeia feições de calha e planície, entre a barragem de Fundão e a UHE Risoleta Neves, existentes antes do rompimento. Foram selecionadas imagens de satélite (software Google Earth Pro®), onde, via fotointerpretação, foram vetorizadas as feições fluviais e os depósitos de rejeitos. Somou-se a isso a interpretação topográfica para construção do perfil longitudinal desse trecho. Neste trabalho são discutidas as transformações morfológicas identificadas, associando-as ao perfil e à morfologia dos canais. Os resultados mostram significativa perda na geodiversidade dos canais, com destruição de feições de grande relevância ecológica e social.

Biografia do Autor

Bárbara Thaís Ávila de Oliveira, Geógrafa

Geógrafa.

Laís Carneiro Mendes, Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Juiz de Fora.

Miguel Fernandes Felippe, Universidade Federal de Juiz de Fora

Departamento de Geociências, Universidade Federal de Juiz de Fora.

Bruna Mendes Silva, Universidade Federal de Juiz de Fora

Graduanda em Geografia, Universidade Federal de Juiz de Fora.

Referências

BARBOSA, S. E. S. Análise de dados hidrológicos e regionalização de vazões da bacia do rio do Carmo. 2004. 188 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Engenharia Ambiental, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2004.

BRASIL. Ministério de Infraestrutura. Secretaria Nacional de Minas e Matalurgia. Programa levantamentos geológicos básicos do Brasil. Folha SF.23-XB-II. Ponte Nova - Estado de Minas Gerais, 1991. 194 p.

CHARLTON, R. Fundamentals of fluvial geomorphology. New York: Routledge, 2008.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia Fluvial: o canal fluvial.São Paulo: Editora Edgar Blücher, 1981.

FELIPPE, M. F. et. al. Acabou-se o que era Doce: notas geográficas sobre a construção de um desastre ambiental. In: MILANEZ, B.; LOSEKANN, C. Desastre no Vale do Rio Doce: antecedentes, impactos e ações sobre a destruição. Rio de Janeiro: Folio Digital: Letra e Imagem, 2016.

FRYIRS, K. A.; BRIERLEY, G. J. Geomorphology and river management: applications of the river styles framework. Blackwell, 2005

GAZEL, D. L. T.; RAMOS, D. C.; DIAS, H. C. T. Revegetação das áreas mineiradas pela extração de ouro por draga nas margens do Rio Gualaxo do Norte, Mariana-MG. In: Seminário de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Paraíba do Sul: Recuperação de Áreas Degradadas, Serviços Ambientais e Sustentabilidade, 2, 2009, Taubaté. Anais... Taubaté: Anais do Seminário de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Paraíba do Sul. 2009. p.297-304.

GILVEAR, D.; BRAYARD, J.-P. Geomorphology of temperate rivers. In: PETTS, G. E.; AMOROS, C. Fluvial Hydrosystems. Londres:Chapman & Hall, 1996. p. 68-94.

KNIGHTON, D. Fluvial forms and processes. Londres: Edward Arnold, 1984.

PELOGGIA, A. U. G.A ação do homem enquanto ponto fundamental da geologia do Tecnógeno: proposição teórica básica e discussão acerca do caso do município de São Paulo. Revista Brasileira de Geociências, São Paulo, v. 27, n. 3, p. 257-268, set. 1997.

______. A cidade, as vertentes e as várzeas: a transformação do relevo pela ação do homem no município de São Paulo. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, v.16, [s.n], p.24-31, jan./jul. 2005.

SALGADO, A. A. R. et. al. O papel da denudação geoquímica no processo de erosão diferencial no Quadrilátero Ferrífero. Revista Brasileira de Geomorfologia, São Paulo, [s.v], n.5, p.55-69, jan./dez. 2004.

SOUZA L.A., SOBREIA F.G., PRADO FILHO J.F. Cartografia e diagnóstico geoambiental aplicados ao ordenamento territorial do município de Mariana-MG. Revista Brasileira de Cartografia, Rio de Janeiro, v.57, n.3, p.189-203, dez. 2005.

Downloads

Publicado

2018-02-04

Edição

Seção

Geografia Física e Desastres Naturais