A educação guarani e a escola: o desafio de educar para a vida

  • Kércia Priscilla Figueiredo Peixoto
  • Silvia Maria de Oliveira

Resumo

O presente artigo apresenta uma breve diferenciação entre educação indígena e educação escolar indígena, de modo a contextualizar a escola nas aldeias guarani no Estado de Santa Catarina, bem como sua interferência no modo de ser Guarani. Também são identificados projetos de formação de professores indígenas que visam proporcionar uma educação de acordo com princípios da própria cultura, como: a Ação Saberes Indígenas na Escola e a Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica da Universidade Federal de Santa Catarina. Os acadêmicos Guarani, da referida Licenciatura Intercultural, realizaram um de seus estágios
obrigatórios em turmas dos anos finais do ensino fundamental nas escolas de suas aldeias. Formulando projetos interdisciplinares, com temáticas por eles escolhidas, os estudantes conduziram suas aulas valorizando a própria cultura. Durante a elaboração e execução dos projetos de estágio, emergiram dificuldades em decorrência do encontro de saberes: articular saberes tradicionais aos conteúdos escolares convencionais demonstrou ser um desafio. Ampliar conhecimentos para além dos já desenvolvidos nas aldeias se constituiu tarefa árdua, como também a necessidade de suscitar o interesse de alunos adolescentes pela cultura guarani. Tais desafios remeteram aos acadêmicos o questionamento: “afinal para que queremos a escola?”, lançando assim um convite ao exercício de refletir sobre práticas de educação intercultural.

Publicado
2019-07-16