ABC do Açude: Uma poesia contra o Estado

  • Felipe Figueiredo

Resumo

Durante a década de 1930, o nordeste brasileiro foi assolado por uma das maiores secas já registradas. O governo federal iniciou então, uma empreitada para a construção de imensos reservatórios artificiais de água denominados açudes. Durante a construção de um desses açudes no município de Macaúbas, na Bahia, certo tipo de poesia em forma de ABC foi criada e era declamada pelos trabalhadores da obra. Tal produção conta a trajetória dos operários na construção da barragem e faz algumas denúncias acerca de suas condições insalubres de trabalho. É partindo disso que esta pesquisa objetiva investigar, por um viés antropológico,
a produção da vida e do conhecimento coletivo a partir da percepção e da relação com o meio
em que se vive, bem como a constituição de um imaginário e de uma memória em torno desse
meio e de suas modificações ao longo do tempo a partir da ação de políticas de gestão e controle
da natureza e de sua própria forma física, o semiárido brasileiro.

Publicado
2019-07-17
Seção
ST 05 - Escrita antropológica e contradisciplinaridade: encontros possíveis entre linguagens, grafias e (cosmo)políticas