Sobre cães de trenó e perros salvajes: o que pode um cão na Terra do Fogo

  • Luisa Amador Fanaro

Resumo

O tema de minha pesquisa de mestrado são os cães que puxam trenó em Ushuaia (capital da Província da Terra do Fogo/Argentina) e suas relações com seus criadores e com os turistas, para os quais ambos trabalham. No entanto, durante minha permanência em campo deparei-me também com outros cães em outros contextos: os perros fueguinos, que conviveram (ou não) com as primeiras populações fueguinas; o perro polar argentino, raça produzida pelo Exército para a exploração antártica; os inúmeros cães de companhia abandonados na cidade; e, finalmente, os perros salvajes, que habitam as zonas rurais e constituem, para os fueguinos,
“animales dañinos” e “especie exótica invasora”. Destarte, neste trabalho proponho-me a pensar,
com atenção especial aos cães de trenó e aos perros salvajes, quais são os diferentes sentidos e formas que a noção de domesticação pode assumir nesses contextos diversos em que cães e humanos se relacionam: de animais daninhos a produtos de “aperfeiçoamento genético”, o que pode um cão na Terra do Fogo?

Publicado
2019-07-17
Seção
ST 07 - Técnicas e tecnologias da domesticação: dilemas e transformações nas relações entre humanos e animais