“Mantenha distância dos macacos”: notas sobre as interações entre humanos e um grupo de macacos-prego no Parque Nacional de Brasília

  • Mariana Machado

Resumo

O Parque Nacional de Brasília é uma unidade de conservação e um local aberto à visitação que acolhe as mais diversas espécies do cerrado brasileiro, entre elas, o macaco-prego (Sapajus libidinosus). O encontro cotidiano entre humanos (visitantes, cientistas e servidores) e não-humanos no parque permite e promove os mais diversos tipos de interações mútuas. A partir do estudo etnográfico realizado no parque junto aos primatólogos, é possível elaborarmos uma profusão de indagações a respeito das relações intersubjetivas entre pesquisadores, macacos-prego e visitantes, revisando o conceito de domesticação, no sentido de que, o contato entre os agentes desta relação faz com que comportamentos, técnicas e procedimentos específicos sejam acionados e constantemente transformados com o contato, por exemplo, as técnicas cientificas, entre os cientistas; a extrema proteção de objetos pessoais, entre os visitantes, e as variações de conduta dos macacos, desafiando a dicotomia doméstico/selvagem.

Publicado
2019-07-17
Seção
ST 07 - Técnicas e tecnologias da domesticação: dilemas e transformações nas relações entre humanos e animais