Movimento, percepção e improvisação em um campo de relações pessoa-técncia-mundo em um contexto de prática social

  • José Alfredo Oliveira Debortoli Universidade Federal de Minas Gerais
  • Carlos Emanuel Sautchuk Universidade de Brasília
  • Lourenço Marques Cia Suspensa
  • Patrícia Manata Cia Suspensa
  • Roberta Manata Cia Suspensa

Resumo

Desafiados pela abordagem antropológica de Tim Ingold buscamos possíveis contribuições para o debate no âmbito da Educação Física como um campo de prática e área de conhecimento. Ao aproximar de ancoragens que enfatizam uma Antropologia da Técnica, buscamos novos olhares para práticas sociais de movimento, indagando perspectivas teórico-metodológicas para o desenvolvimento de estudos que enfatizem o corpo como centralidade expressiva. Realizamos um processo de investigação com o Grupo Cia Suspensa – que produz movimentos a partir do envolvimento com artefatos, em diálogo com narrativas da dança e do circo – focando investigar possibilidades do movimento humano, a partir da experimentação, da percepção, da repetição, da improvisação constituindo processos de produção relacional da técnica, e como tudo isso os afeta. Sentimo-nos, nesse sentido, desafiados a entender como o conhecimento se constitui em processos de aprendizagem, se materializa em relações, e se expressa em habilidades, sensibilidades, identidades e propósitos sociais. Como processo de pesquisa, relacionamos engajamento prático e processos de aprendizagem. Juntamente com os integrantes do grupo Cia Suspensa desenvolvemos um processo de pesquisa em que nos desafiamos conhecer, empiricamente, possibilidades do movimento humano em um campo de entrelaçamentos pessoas-técnica-mundo. Dessa perspectiva enfatizamos a importância de reconhecer a “técnica” e a “arte”como temas centrais da experiência cultural. A noção de técnica proposta procura ultrapassar dimensões estritamente instrumentais, para ser compreendida como processo, relação e prática social, de onde emerge sentido. Esperamos compreender relacionalmente habilidades técnicas, descrevendo processos de acoplamento entre pessoas, artefatos, forças, texturas, superfícies móveis e verticalizadas; sustentadas por cordas e plataformas suspensas, entre outras possibilidades de interação e produção de movimentos.

Publicado
2014-08-25